semana de 20 de outubro

1. NA TV

Jimmy Kimmel Live bateu Jimmy Fallon na quinta feira por uma margem de 30% e sua maior audiência em mais de 6 meses (3.0 totais versus 2.3 Fallon totais). O motivo? um show ao vivo de Taylor Swift da Hollywood Boulevard em LA.
Ao menos no Tonight Show, a audiência teve um ataque de risos junto aos de Jimmy Fallon e Bradley Cooperhttps://www.youtube.com/watch?v=YMvYTUSez_0

Scandal é um dos programas que ajuda alavancar Jimmy Kimmel toda quinta-feira e realmente está virando um fenômeno pop: o twitter enlouquece com o elenco inteiro tuitando, a história tem varios pontos de virada e bizarrices a cada episodio,  a audiência é alta e até o break ganhou um upgrade como plataforma de lançamento…Esta semana, vimos a estréia de um spot novo de  Victoria Secret (com clara ênfase em modelos negras) e a campanha nova de Chanel (com Giselle e Baz Lurhman). Audiência dos 3 programas de Shonda Rhimes está entre 8 (Grey’s) e 10 milhões ao vivo (sem somar +3 ou +7, que tem projeção de 15 milhões). Só perdem para o futebol americano na CBS (com 12-15 milhões), mas somam mais que o dobro dos outros canais.

Numa coincidência assustadora,, a comédia Selfie da ABC, exibiu na terça uma cena filmada em Agosto deste ano onde as duas atrizes comentam a aparência de Renee Zellwegger (“está ótima, mas não se parece em nada com Renee Zellwegger”), um dia depois da celeuma na mídia causada pela aparição de Renee em público (envelhecida).

Subindo 32% de audiência em Outubro, UniMás terminou em segundo entre os canais hispânicos na semana passada, batendo Telemundo, Estrella, Azteca e MundoFox entre A 18-49. O motivo? Filmes de Cantinflas.

2. NOTICIAS

 

A notícia de que AMC está comprando 49.9% da BBC America é importante e deve ter saído por aí (impressionante a agressividade do AMC). Enquanto isso, a chinesa Alibaba tem interesse em adquirir 37% da Lionsgate (o estúdio que produz Mad Men, Orange is the New Black, etc.) e  Sony está comprando 50% de dois canais de telenovela israelenses (Viva e Via Plus) da Dori Media, bem como parte de seu serviço de VOD em Israel e 50% de Baby TV na Indonesia.

Em resposta a uma petição online de mais de 8 mil assinaturas (iniciada por uma mãe da Florida), a  Toys’R’Us eestá retirando das prateleiras os bonecos de Walter White e Jesse Pinkman (vendidos com bandejas de mini-metanfetamina e máscara protetora)  Foi notícia da maioria dos jornais da manhã (e late night shows).  Bryan Cranston tuítou parabenizando a mãe, mas Aaron Paul explodiu condenando Toys R Us por venderem Barbies ( o que é pior, diz ele?) e games violentos.

Programa bonito para online: toda a sexta à meia noite na  pagina do AOL estreia um episódio novo de My Hero, produzido por Zoe Saldana, onde celebridades agradecem e recompensam aqueles que os ajudaram a chegar onde estão, sendo mentores, maquiadores ou amigos. No elenco, além de  Zoe, Julianne Hough, Maria Menounos, Nick Cannon Tyler Posey entre outros. http://on.aol.com/show/my-hero-518250657

Esta semana, Sarah Jessica Parker irritou muito os moradores da townhouse que Carrie Bradshaw morava no West Village ao usar as escadas para fotografar sua nova coleção de sapatos. Não bastava a corrente que os moradores instalaram na 66 Perry St. por causa dos turistas, aparentemente a sessão de fotos não tinha sido previamente autorizada. Ela postou no Instagram: “It was take your @sjpcollection shoes to work day. #longdayforCarrie #whewwwwthosesteps #runninginheels #taxi!”

TLC cancelou Honey Boo Boo porque a mãe da menina, Mama June, aparentemente estava saindo com um sujeito que foi acusado de molestar uma criança no passado — ele cumpriu pena de 10 anos e saiu em março.O TLC argumenta que “o bem estar das crianças é sua maior prioridade”.

Curiosidade: pode-se apostar que “the next big thing” online serão canais de conteúdo simplesmente pelo capital que está sendo investido em startups de redes online e o nível dos empresários. http://www.huffingtonpost.com/steve-rosenbaum/future-of-tv-funding-the_b_6025176.html

Sindycation (reprises) de programação via OTT  agora rendem muito mais aos estúdios do que o syndication rendia via canais lineares a cabo. A projeção para 2015 é que Amazon, Hulu e Netflix irão desenbolsar 6.8 bilhões para comprar a programação dos estúdios, um aumento saudável dos 5.2 bilhões deste ano. Não vai demorar muito até que os estudios maiores produzam para OTT (como já faz Lionsgate): o orçamento de produção de Netflix para o ano que vem é de 3.3 bilhões.


3. DEVELOPMENT

Fox divulgou esta semana seus últimos projetos  em desenvolvimento: uma comédia baseada no filme Hitch (de 2005),  um sci-fi do super produtor Howard Gordon  uma comédia de horror com os criadores de Glee e American Horror Story, Ryan Murphy Brad Falchulk, chamada Scream Queens, uma adaptação de uma webserie australiana chamada The Weatherman e uma série baseada nos quadrinhos de Archie. Scream Queens terá 15 eps e vai se passar num campus de universidade onde uma série de assassinatos misteriosos acontecem. The Weatherman será adaptada de uma webserie e contar a história de um meteorologista/homem do tempo muito inseguro. Já o clássico Archie (mais Betty, Veronica, Josie & The Pussycats) vai virar série de live action produzida por Greg Berlanti (de Flash e The Arrow) na Warner, contar com todas as personagens dos quadrinhos e centrada no triângulo Archie, Betty e Veronica. Vai se chamar Riverdale

Roma Downey e o marido Mark Burnett estão desenvolvendo uma série “religiosa” de não ficção para o TLC. A história vai girar em torno de pessoas que tiveram suas preces atendidas e vivenciaram “milagres dos dias de hoje que não podem ser explicados pela ciência”. 6 eps

Pop, a marca nova do TV Guide, está desenvolvendo sua primeira série de ficção, Schitt’s Creek,a comédia canadense criada e protagonizada por Eugene Levy e o filho, Daniel Levy. A série deve estrear com mais 6 outras de não ficção. A história é a de magnata de lojas de vídeo que perde toda a fortuna, sua mulher Moira (atriz de telenovelas) e seus dois filhos, uma hipster e uma socialite.
poplogo

MTV desenvolvendo duas novas séries de não ficção para estrear em 2015,  A$$ Game Show,  um game show cômico nas ruas de NY nos moldes de “tudo por dinheiro”, e o docusérie Todrick, com a estrela do You Tube Todrick Hall, onde ele vai receber alguns espectadores na sua “fábrica criativa” para acompanhar a gravação de seus vídeos.

ABC vai lançar um novo talk-show em setembro do ano que vem chamado The. F.A.B, com Tyra Banks Chrissy Teigen, Joe Zee, Lauren Makk e Leah Ashley. Teigen é uma modelo (casada comJohn Legend) e  foodie. Zee é editora de Yahoo Fashion, Makk é u decorador e Ashley é estrela do  YouTube. Os assuntos devem girar em torno de lifestyle.
Além de renovar 7 de suas séries, ABC também vai produzir uma adaptação para TV de O Fantasma da Ópera, com roteiro de Marc Cherry que vai levar a história para a indústria musical os dias de hoje. E entre ontem e hoje a noticia de várias “comediazinhas” em desenvolvimento. Se alguma merecer destaque, falo a semana que vem.

Showtime está desenvolvendo Billions, um drama sobre o mercado financeiro, centrado no choque entre dois titãs, que serão interpretados por Paul Giamatti Damien Lewis. O script é baseado na obra do colunista Andrew Ross Sorkin.

USA vai adaptar a novela La Reina Del Sur para a TV, com Alice Braga como protagonista. A obra de Arturo Pérez-Reverte virou telenovela de 63 eps na Telemundo. e conta a historia de uma mulher que foge para os EUA depois que o namorado traficante é morto no Mexico e acaba se tornando uma líder do cartel. 

Lifetime desenvolvendo Lizzie Borden: The Fall River Chronicle, uma minissérie de 6 horas sobre um mulher que em 1892, foi absolvida do assassinato de seu pai e madrasta (com um machado). Cristina Ricci deve fazer o papel título, a história é  verídica e entra no ar em 2015.

A atriz e comediante Fortune Feimster vai produzir (e protagonizar) com Tina Fey (com quem trabalhou em Cabot College da Fox) uma comédia semi-autobiográfica  e multicamera para a ABC. A outra série sendo produzida por Tina Fey é para a NBC e deve estrear este ano, com Ellie Kemper (do The Office), sobre uma mulher que foge de um culto radical para recomeçar a vida em NY.