semana de 2 de fevereiro

NA TV

Não é preciso dizer que a audiência do Super Bowl no domingo foi recorde, mas é impotante ressaltar que foi a maior da história da TV americana: 115 milhões assistiram à dramática partida decidida nos últimos segundos (New England Patriots ganharam dos Seattle Seahawks). A audiência foi de quase 50 pontos rating e 72% share.Os recordes anteriores tinham sido da Fox e CBS (com os Super Bowl de 2012 e 2013 — a transmissão é em rodízio entre os canais abertos).
The Blackist foi ao ar imediatamente depois do jogo e promoveu exaustivamente (durante a exibição) sua mudança de dia para a quinta feira. Fez um recorde de 26.5 milhões e 8.7 de audiência entre A18-49 no domingo, a maior audiência na TV desde os Oscars do ano passado na ABC. Jimmy Fallon também se deu bem depois de Blacklist: fez 9.8 milhões.  E o rebrand de mun2, NBC UNiverso, que apresentou o jogo em espanhol no relançamento do canal, fez 457 mil, sua maior audiência até hoje (excluindo futebol).

Na contra-programação, o Puppy Bowl do Animal Planet fez 10.4 milhões — números menores que os 13.5 do ano passado, talvez por causa da competição com os gatinhos do Hallmark que juntaram 1.5 milhões? Ou o fish bowl? De qualquer maneira, excluindo esportes, os cachorrinhos ficaram em nº 1 na TV a cabo entre 3-5 da tarde.

Jimmy Fallon também soube aproveitar momentum da audiência pós-Superbowl, lançando três vídeos virais “importantes” (o clip “we are the champions” em estilo Brady Bunch, com elenco all-star, a compilação hilária de photobombs dele no estádio com Chris Pratt e Chris Evans e a abertura especial para a semana do Tonight Show em Los Angeles, inspirada em The Fresh Prince of Bel-Air: https://www.youtube.com/watch?v=qL6baIiRkSg Resultado? 40% acima de sua média de audiência.

Na segunda a NBC  lançou a campanha de apoio à mudança de horário de Blacklist com o #RedOnTheRun, uma caça ao tesouro em 25 cidades, em busca da personagem de James Spader (Red). Vários lookalikes estavam espalhados pela cidade e quem encontrasse um ganhava até $500, mais a possibilidade de ganhar  $25,000. Este tipo de marketing dá muito certo por aqui (Breaking Bad fez, Starz fez para Black Sails)http://www.redontherun.com.
Estamos em Fevereiro, mês de sweeps (medição de audiência para determinar valores para o mercado publicitário) e a primeira terça de sweeps foi da CBS, com NCIS e NCIS New Orleans fazendo 18 e 16.4 milhões. Na quarta, a ABC estreou a comédia Fresh Off The Boat, mas nem isso nem a volta de Modern Family interromperam a crescente audiência do fenômeno Empire da Fox, que fez 11.4 milhões, batendo até a CBS. O que está acontecendo com Empire é sinal dos tempos: um elenco inteiro de negros, marketing direcionado, texto que é um novelão e audiência que só cresce desde a estréia. Há 20 anos isso não acontecia na TV (desde Grey’s Anatomy). Na quinta, que se tornou a noite mais competitiva da semana, Big Bang continuou sua liderança às 8 (16.8 milhões) Scandal e Blacklist competiram pela liderança às 9 (Scandal perdeu meio ponto de audiência e Blacklist, apesar de ter média inferior à segunda, ganhou: 10.1 a 9.5 milhões, a melhor quinta para a NBC desde ER). How To Get Away with Murder também perdeu um pouco…

Girlfriends’ Guide to Divorce foi renovado para uma segunda temporada para o Bravo.  Com produção da Universal, é a história de uma autora de livros de auto-ajuda que se separa do marido e precisa aprender a viver solteira, baseada em um livro de Vicki Iovine. Para um canal que só fazia unscripted, sua primeira incursão em ficção está muito bem: despertou curiosidade, está em linha com a marca e tem feito 1.5milhões de audiência às terças. Só a título de curiosidade, a terça é dia de Mindy Project, que a Fox mantém Não faz grandes números e fica em 4º ou 5º no ranking de sua faixa de horário.

Enquanto isso, no lado de lá, duas curiosidades da Inglaterra:

O primeiro romance de J.K. Rowling depois de Harry Potter, The Casual Vacancy, virou minissérie de 3 episódios na BBC One e já tem um trailer… A história é de uma famíia, os Pagford, habitantes de uma pitoresca vilinha inglesa onde todos são muito próximos, mas que tem muitos dramas a esconder: https://www.youtube.com/watch?v=O_Myt40Y

Wolf Hall é o novo sucesso “histórico” da BBC Two, uma série baseada no romance homônimo de Hilary Mantel. Se passa em 1520 quando Henrique VIII queria anular seu casamento de vinte anos com Catarina de Aragão para se unir a Ana Bolena; talvez um dos momentos mais fascinantes da histórica britânica. A produção, que custou cerca de 10 milhões, reproduz os hábitos, o vestuário Tudor e é inteiramente filmada em locações (muitas abertas à visitação).

Domingo tem Grammys ao vivo pela CBS, que está preparando uma produção digital tão grande quanto a da TV. O dueto  de Sam Smith com Mary J. Blige já está online desde quinta feira, os bastidores entram live online ao meio dia de domingo no CBS.com e Grammy.com  e via aplicativo, há videos novos no FB a toda hora e os assinantes de CBS All Access vão poder assistir ao livecast  pelo telefone ou tablet.

NOTICIAS

 

Um incidente com Brian Williams, um dos mais conhecidos âncoras da TV (NBC),  foi um dos assuntos mais discutidos da semana, e a imprensa está fazendo um estardalhaço. Williams admitiu na quarta ter “se confundido” no relato sobre um incidente ocorrido durante a invasão do Iraque, há 12 anos, confessando que, ao contrário do que tem contado, não estava no helicóptero atingido por fogo inimigo em 2003. A imprensa caiu em cima, produtores, autores e outros passageiros do tal helicóptero aparecerem para dizer que o helicóptero foi atacado, sim, que Brian só exagerou nas palavras e o jornalismo da NBC entrou em crise. Na sexta, a presidente de NBC News mandou um memo para a empresa inteira dizendo que estão apurando o que realmente aconteceu e que a “família do jornalismo da NBC vai se manter unida”. O NYTimes compilou as vezes em que Brian Williams falou sobre o assunto nos 10 anos, mostrando que o “exagero” cresceu com o tempo.

Kingdom Holding, empresa do principe saudita Al-Waleed Bin Talal que detinha 6.6% participação na NewsCorp reduziu suas ações para 1%, vendendo $188 milhões de class B shares. O príncipe, parceiro de Rupert Murdoch de muitos anos, manteve seus 6.6% na 21st Century Fox, o que vale mais ou menos $1.7 bilhões. Al-Waleed, que também investe no Twitter e Euro Disney, é o segundo maior acionista da Fox.

MiTu, a maior rede em lingua espanhola do You Tube, com 1300 canais (12 bilhõs de visualizações), está arregimentando investidores importantes e já levantou  $15 milhões para seu crescimento. Entre os investidores AMC, Maker Studios e The Chernin Group. A MiTu tem estúdios em Culver City e na Baja California e produz para Maker, Televisa, o Discovery Familia e outros estabelecimentos.Sua CEO, Beatriz Acevedo, foi uma das primeiras produtoras americanas dedicadas ao mercado hispânico.Somos Next, LLC é outra empresa recém-formada desenvolvendo conteúdo para América de lingua espanhola via OTT através de sua marca FlixLatino. O conteúdo é basicamente de filmes — 400, produzidos originalmente em espanhol no Mexico , Colombia , Argentina, Espanha, Chile, Venezuela, etc.


DESENVOLVIMENTO

HBO está desenvolvendo uma minissérie com um elenco de produtores estelar para contar a história de dois exploradores americanos que fizeram uma expedição de costa a costa dos EUA em 1803. É baseado no livro Undaunted Courage de Stephen E. Ambrose, Lewis and Clark (6×60′) e a história (verídica) retrata os primeiros contatos com a terra e tribos a oeste do rio Mississippi.Casey Affleck e Matthias Schoenaerts vão interpretar Meriwether Lewis e William Clark, os capitães da expedição. Edward Norton, Brad Pitt e Tom Hanks serão os produtores (ao lado de Dede Gardner, Tim Kelly, Adam Leipzig e Gary Goetzman).HBO também assinou um contrato de first-look de dois anos com a produtora inglesa Roughcut TV, especializada em comédias (The Office, The IT Crowd) que já trabalhando em seu primeiro projeto para a casa, um piloto  com Sarah Silverman, escrito pelo autor de Secret Diary of a Call Girl (que é ótima série).

CW desenvolvendo pilotos para Tales From The Darkside, o drama de terror Dead People e uma série de suspense e aventura chamada  Cheerleader Death Squadcriada por Marc Cherry (de Desperate Housewivese Neal Baer (de Under The Dome).  Cheerleaders é sobre um ex-agente da CIA, que depois da agência, vira professor numa escola de classe alta em Washington. Ao se dar conta que alguns de seus alunos estão usando informação privilegiada, ele treina dois deles para serem seus olhos e ouvidos no mundo da espionagem (e assim voltar à CIA).

Os dramas em desenvolvimento pela ABC:

Um drama médico-legal chamado The Advocate, inspirado na história verdadeira de uma agente de talentos da CAA (cujos clientes incluem  Brett Ratner, Paul Haggis, Jim Sheridan e Jason Katims). Ela foi vítima de erro médico no diagnóstico de um tumor no cérebro, que foi detectado por outro médico que a operou (e tudo ficou bem). Mas 22 anos depois, ela largou a agêncai de talentos e se tornou advogada-médica para defender casos semelhantes ao seu.

Boom, que conta a história do boom do petróleo em Dakota do Norte, é da ABC Studios e acompanha a trajetória épica de um jovem e ambicioso casal em busca de petróleo, fortuna e uma vida melhor. Uma lenda clássica, com twists modernos.
The Adversaries, um novelão de um dos roteiristas de ER, David Zabel, conta a história de uma familia tradicional de advogados que se vê enrolada em um processo onde a filha, uma procuradora do Estado terá de ficar a favor ou contra o pai.

Kingmakers, um suspense de uma roteirista de Revenge, Sallie Patrick. também da ABC Studios, conta a história de um jovem que tem a irmã assassinada em seu primeiro ano de faculdade e ele vai atrás do assassino. Adota uma falsa identidade para infiltrar-se nas sociedades secretas das Ivy Leagues e descobrir o que aconteceu.

Netflix está desenvolvendo mais um drama histórico, The Get Down, criado por Baz Luhrman e Shawn Ryan (de The Shield). A produção é da Sony, se passa em Nova York no fim dos anos 70, em meio à explosão do hip-hop, punk e arte alternativa, junto com violência e decadência de centros urbanos. No centro do drama, um grupo de adolescentes do Bronx.

OUTROS

Um dos melhores sites de apoio séries que estão no ar é o de Suits, do USA. Além de terem sido os primeiros com conteúdo original para TV Everywhere (exemplo: se Harvey, um dos advogados principais ia para uma reunião com um “documento revelador” numa pasta, no TV Everywhere podíamos ver o documento dentro de sua pasta), todo o material extra deles é super bem humorado… de playlists a cartões de dias de namorados, “se os personagens fossem cachorros”, as fotos que Patrick Adams (o ator) faz, etc.: http://www.usanetwork.com/suits

Análise do Variety sobre a diminuição de product placement (merchandising?), já que o shift para digital só cresce:
http://variety.com/2015/tv/news/tvs-old-product-placement-era-could-be-nearing-its-end-1201423710/

E uma análise das tendências dos pilotos para proxima temporada:http://variety.com/2015/tv/news/pilot-season-television-trends-2015-season-1201422935/