semana de 8 de fevereiro

NA TV

Duas notícias importantes esta semana: Jon Stewart anunciou que vai deixar o Daily Show (Comedy Central) e Brian Williams foi suspenso por 6 meses do jornalismo da NBC.  Jon Stewart e Brian Williams são as caras que praticamente definem suas marcas. Jon, que colocou o Comedy Central no mapa da cultura pop e está há 16 anos no comando do programa, anunciou sua saída no auge de audiência e popularidade. Brian, que passou a semana sendo execrado pelos coleguinhas jornalistas, pela concorrência e até pelo CEO da NBC (“Brian colocou em risco a confiança que milhões de Americanos tem pelo jornalismo da NBC”), tem apoio do público abertamente via FB (como na demissão de Ann Curry do Today em 2012) e está à frente de uma franquia que rende à empresa 200 milhões por ano. Em consequência direta de sua suspensão, o jornal da noite na NBC viu sua audiência média de 9 milhões despencar e agora perde para a ABC. Crise total na NBC News.

Já na área de entretenimento, hoje tem especial ao vivo para comemorar os 40 anos de Saturday Night Live na NBC. O especial de mais de 4 horas terá red carpet no Rockefeller Center apresentado pela turma do Today e elenco estelar ex-SNL (que não sabiam o que iam fazer até o sábado de manhã). Ontem à noite, dia de SNL, a NBC apresentou o primeiro programa, de 1975.

No domingo e segunda passadas, o AMC estreou a ótima Better Call Saul. As notícias chegaram por aí: maior audiência de uma série de ficção na TV a cabo, com 4.4 milhões entre A18-49, 8milhões em numeros totais. Walking Dead fez 8 milhões,15.6 em numeros totais.  Na segunda Saul caiu para 3.42  A18-49, mas mesmo assim foi nº 1 na TV a cabo, bateu Castle na ABC e foi nº1 entre homens 18-34. A primeira cena é de Saul nos dias de hoje trabalhando num Cinnabon em Omaha (uma de suas últimas frases em Breaking Bad: “se eu tiver sorte, vou ser gerente de um Cinnabon em Omaha”). Pois a rede Cinnabon fez uma parceria com AMC e no dia da estréia, ofereceu mini-cinnabons gratuitamente a seus clientes entre 5 e 9 da noite, enquanto exibia promos de Better Call Saul em todas as suas lojas e promovia um concurso via twitter.

Na terça, Pretty Little LIars foi nº 1 entre mulheres 18-34, aliás, tem sido nº 1 entre M18-34 há seis semanas consecutivas. Na quarta, na Fox, Empire continua sua impressionante ascensão, agora chegando quase aos 12 milhões (67% A18-49 negros).  The Slap estreou quinta (NBC) para uma audiência de apenas 5.1 milhões, deixando o canal em 4º lugar às 8 da noite. A minissérie de 8 episódios baseada em formato australiano e dirigida por Lisa Cholodenko, tem ótimo elenco (Peter Sarsgaard, Thandie Newton, Zachary Quinto, Uma Thurman, Thomas Sadoski e Brian Cox) e é contada como em The Affair — cada episódio do ponto de vista de um dos que estavam no churrasco onde um adulto dá um tapa numa criança desobediente. Um drama em cima de um tapa é um pouco ridículo, mas a minissérie tem gerado discussão.  Na sexta, o tema transgênero chegou à TV aberta via Glee,  que fez um episódio dedicado à transformação da coach Shannon em Sheldon e que incluiu um coral de 200 trans.

NOTICIAS

Fox International Channels,  em sua missão de dominar o mundo, está de cara nova desde a semana passada. Mas seu rebrand começou há mais de um ano de forma estratégica. Primeiro foi a “fox-ificação” de todos seus canais internacionais: onde havia Bem Simples ou Utilissima, o nome passou a ser Fox Life; onde havia Crime, o canal passou a se chamar Fox ou FX.  Depois vieram as aquisições de programação e lançamentos globais – Walking Dead, American Horror Story, 24.  E de 120 milhões de espectadores no mundo, eles passaram a ter mais de 244 milhões (em 126 países, em 33 línguas).  Com conteúdo e volume, chegou a hora do on air look, que é baseado em “big event series” — este sizzle-reel dá idéia do peso: https://vimeo.com/117202515. A solidificação do rebranding termina em Maio, com o lançamento global de Wayward Pines, de M. Night Shamalayan.

Sling TV, o serviço de streaming da Dish, já está disponível para o público e já tem canais adicionais. Por $20 dólares por mês, o consumidor pode ter os 15 canais iniciais (entre eles ESPN, ESPN2, TNT, TBS, CNN, HGTV, Cartoon Network, Galavision, El Rey Network e um com conteúdo da Maker Studios) e terá em algumas semanas, o AMC em seu pacote básico. Por $5 dólares a mais, a Sling TV vai oferecer um pacote de esportes e outro infantil.

Uma campanha interessante do AMC foi lançada esta semana para promover a última temporada de Mad Men, que começa em Abril, e ao mesmo tempo eternizar a mística do piloto:  fãs são convidados a refilmar um dos 154 clips do piloto.  5 serão escolhidos, tem 30 dias para entregar sua versão, que precisa ser inteiramente original e obedecer uma série de regras.

A distribuidora Cinedigm e uma nova empresa de TV online, TV4 Entertainment, se associaram para lançar uma nova série de canais digitais OTT — o primeiro deles sendo um para crianças, a ser  lançado ainda este ano. A programação será composta pelo acervo da Cinedigm, que inclui produções da National Geographic Channel, Discovery, Scholastic e Hallmark. Cinedigm, que já opera um de documentários, Docurama, também desenvolve CONtv, um canal com o tema Comic Con, e um para a família, Dove Movie Channel.

A agência UTA vai começar a representar fotógrafos, pintores, escultores e artistas de mídias e multi-plataforma através de um novo departamento, UTA Fine Arts, que funcionará  como uma super galeria expondo seus artistas. É a criação de praticamente um novo (e rentável) mercado, que usa o mesmo business model do entretenimento em Hollywood (a UTA Fine Arts retém 10% do que vende).

A loja de departamentos Barneys está lançando sua própria revista. The Window chega às lojas este fim de semana, é baseada no site de mesmo nome e vai funcionar como “plataforma de lançamentos de roupas, acessórios e jóias”, segundo a COO da empresa (não seria um catálogo?). O primeiro número tem uma entrevista com Isabel Marant e uma visita ao estúdio do diretor criativo de Paco Rabanne, Julien Dossena. A Barneys promete uma versão masculina para Setembro.

DESENVOLVIMENTO

AMC está desenvolvendo um thriller sobre um ditador que sequestra uma conceituada atriz americana, que se torna o centro de uma disputa de poder (semelhante à história desta temporada de Scandal, em que Olivia Pope foi sequestrada). Originalmente, a história ia se passar na Coréia do Norte, mas depois do incidente com a Sony, o país do ditador será fictício. É a primeira série de Darby Kealey e será produzida pela MGM.