semana de 7 de junho

 

NA TV

Bravo estreou sua segunda série de ficção esta semana, a comédia Odd Mom Out, sobre uma mulher de classe alta de Manhattan, que é vista pelas amigas como “mais pobre”. A série é baseada no livro “Momzillas”, que critica as  elites novaiorquinas – ótima maneira do canal rir de si mesmo: o  Bravo é o canal mais upscale (classes A e B) para mulheres 18-49. A série é boa, mas a criadora (e autora do livro) faz o papel principal e é péssima atriz, dando o tom fake para o que poderia ser uma ótima comédia: https://www.youtube.com/watch?v=PceIV51so4k

O futebol feminino está se mostrando uma investida excelente do Fox Sports, que vai transmitir os 52 jogos da Copa feminina, 16 deles na Fox aberta. Tudo com o objetivo de atrair mulheres e jovens (“a audiência do futuro”), com o apoio de (muitos) anunciantes. A audiência está respondendo bem e na segunda, eles tiveram um recorde de 3.3 milhões, a mais alta para um jogo de futebol para os americanos (Estados Unidos ganharam da Australia).  Os oito primeiros jogos fizeram média de mais de 1 milhão.

Um bom documentário estreou na quinta na CNN,  The Seventies. É a versão anos 70 da série produzida por Tom Hanks que foi ao ar no ano passado (The Sixties). O episódio desta semana foi sobre a TV, a promoção foi intensa (incluindo uma instalação em Columbus Circle, com móveis e ambientes dos anos 70) e foi impossível não assistir inteiro. A audiência foi ótima ao vivo, 900 000, batendo a Fox News (nº1 entre os canais de notícias) e, como toda estréia na TV a cabo americana, o mesmo episódio foi exibido imediatamente após a estréia.

O Today Show acelerou seu ritmo, derrubou as frivolidades, está mais jornalístico e aos poucos vem recuperando a liderança das manhãs, que tinha perdido em 2012, depois de 16 anos no topo. Análise do Variety.  E como está chegando o dia dos pais, Jimmy Fallon foi lá esta semana promover seu livro Dada e o video já é viral…

NOTICIAS

Michelle Obama é a editora convidada do número de Julho da revista More, uma revista feminina para mulheres de 30-65, que chega às bancas no próximo dia 23. É a primeira vez que uma primeira dama vira editora de um número de revista, embora seu trabalho não tenha sido muito braçal (como ler e editar centenas de textos, como um editor normalmente faz). Michelle Obama escolheu os artigos e colunas para o número de Julho, a maioria ligados às causas que ela trabalha, como “Let’s Move”, que pretende reduzir a obesidade infantil, suas fotos favoritas na Casa Branca, os melhores parques americanos e uma coluna intitulada “The Feminine Mistake,” escrito por Chimamanda Ngozi Adichie.

A Apple anunciou seu maior e mais ambicioso projeto até hoje: uma fazenda solar. A iniciativa vai custar USD 850 milhões e gerar energia para toda operação da Apple na California, do QG em Cupertino a todas as lojas do estado. Investindo em energia solar eles já estão há anos (os servidores do Icloud é todo mantido a energia solar)  mas este é o maior de uma empresa privada. Tem 12 kilômetros quadrados, começa a ser construída em Julho, termina em 2016 e segundo Tim Cook, “faz todo sentido financeira e ecologicamente”.

As ações da Netflix bateram um novo recorde esta semana, subindo 6% e chegando a $692.79 depois que a companhia anunciou o acordo com a rede de hotéis Marriott. É mais do que o dobro desde que a empresa se tornou pública. A rede Marriott será a primeira a permitir que os hóspedes acessem Netflix em seus quartos de hotel.

Um grande evento para os fãs de Gilmore Girls aconteceu no sábado passado em Austin, Texas, no festival de TV ATX: a criadora da série (texto brilhante, aliás), Amy Sherman-Palladino, mais  Lauren Graham, Alexis Bledel, Kelly Bishop  subiram ao palco para falar da série, detalhes da produção e a possibilidade de um filme.http://bcove.me/rvdszsof

MARKETING e  OUTRAS PLATAFORMAS

Stephen Colbert e sua equipe já começaram a promover sua estréia no late night da CBS (8 de Setembro) de forma bem interessante: primeiro com um vídeo viral de 5 min na semana passada e agora, um podcast sobre a pré-produção do programa. The Late Show Podcast teve seu primeiro episódioesta semana  (“In The Bad Room with Stephen”) sobre a falta de janelas no escritorio. Os próximos serão sobre a nova estratégia de criação dos roteiristas, o nascimento de um novo personagem, etc. De acordo com o ListenFirst Media, que mede o entretenimento no Facebook, Google+, Instagram, Tumblr, YouTube e Wikipedia juntos, depois do primeiro video viral no You Tube, em que cortava sua Colbeard, Stephen Colbert já começou a trend nas redes sociais.

Discovery vai exibir um documentário via Facebook antes do ar: Rise: The Promise of My Brother’s Keeper. Também faz um pouco de sentido já que o documentário promove mudanças sociais. Trata-se de uma iniciativa criada pelo presidente Obama em 2014 que incentiva comunidades  a ajudar a educação de jovens negros. O documentário pode ser streamed de sexta a domingo (dia dos pais) e entra no ar no Discovery e OWN no domingo às 19h.

A Amazon vai fazer o mesmo com a comédia Catastrophe: os 6 episódios estréiam  (via Amazon streaming) dia 19, mas o piloto estréia no Facebook na segunda, dia 15. Catastrophe é a comédia mais bem criticada do ano, a mais absurda e o trailer é bem engraçado. Uma irlandesa e um americano se conhecem, transam muitas vezes em uma semana, ela engravida, eles casam e só depois tentam começar um relacionamento. O papel da irlandesa é de Sharon Horgan, co-autora da série e também show-runner da série que Sarah Jessica Parker está desenvolvendo na HBO, Divorce.

Depois de pagar uma pequena fortuna (160 milhões) pelos direitos de exibir os 180 episódios de Seinfeld em SVOD, Hulu está investindo em marketing off air  para tornar a estréia no próximo dia 24 um evento. Eles estão construindo uma versão real do apartamento do Upper West Side de Jerry Seinfeld (em Union Square) . Com o título de Seinfeld: The Apartment, a instalação fica aberta de 24 a 28 de Junho e vai incluir elementos interativos.

Broadband TV e o Huffington Post lançaram um novo canal de noticias esta semana, Outspeak, para a nova geração digital. Está disponível no YouTube e no HuffPo e seu objetivo é agregar criadores e escritores, o mesmo que o Huffington Post fez no seu lançamento com bloggers, dando espaço para que compartilhassem conteúdo. Jornalistas que querem ter uma voz no canal podem ir direto ao site para se inscrever outspeak.tv Juntos, Huffington Post e BBTV tem 4.7 bilhões de visualizações por mês.

Dance Moms  reestreou na terça no Lifetime com uma novidade: ao invés de uma grande produção, tipo anos 80, eles preferiram vídeos domésticos feitos com GoPros. O Lifetime escolheu a música e deu a cada participante do programa uma GoPro para que fizessem seu próprio vídeo. Foi uma estratégia inteligente para que os promos parecessem mais autênticos, como conteúdo original, e que fossem compartilhados centenas de vezes em redes sociais espontaneamente e com custo baixíssimo. O Lifetime deve fazer o mesmo com outras séries, como Bring It, que estréia no final de julho.

Mais um passo na interessante estratégia do Netflix de se estabelecer como player mainstream de conteúdo: Degrassi vai voltar a ser produzida. A série está na 15ª temporada, foi cancelada há pela Nick e é uma das mais importantes séries teens a tratar de temas polêmicos entre adolescentes como sexo, gravidez, violência e suicídio. É para 2016 e vai se chamar Degrassi: The Next Class.

Breaking Bad continua rendendo… Agora com um produto para os fãs: uma vodka. A Blue Ice/Century 21 e Sony estão lançando uma edição limitada de vodka inspirada em Heisenberg. Na garrafa, azul obviamente,  frases famosas da personagem como –claro–“say my name”.


DESENVOLVIMENTO

No HGTV, My Lottery Dream Home vai acompanhar aqueles que ganharam na loteria e querem comprar a casa perfeita (com ajuda de um especialista, claro). Um piloto de 2 eps foi exibido em Março, sobre um casal que depois de ganhar USD 180 mil procurava uma em estilo country,  e com os ótimos resultados, o canal encomendou mais 12 eps.

No OWN, um projeto da CBS para educar seus espectadores na visão masculina sobre relacionamentos, casamento e sexo. Baseado no livro de Tyrese Gibson e Rev Run, Man-ology,
eles prometem contar tudo sobre homens e o amor. Um é pai de seis e pastor, o outro pai solteiro. No programa, uma platéia e convidados célebres. Todos tendo a chance de perguntar qualquer coisa sobre o assunto para os dois autores.

Oxygen, consolidando seu posicionamento de canal lifestyle para mulheres jovens e multiculturais, anunciou o desenvolvimento de 5 séries novas.  Dead Clean é um reality com um grupo de faxineiras que enfrenta a limpeza de qualquer coisa (incluindo cenas de um crime, casas de acumuladores, etc).  House of Black Diamond segue o melhor grupo de performance da California. Start Me Up é um reality de competição para levantar fundos online via crowd-funding. Swipe for Love é outro reality usando redes sociais, desta vez para combinar casais ao vivo na frente de uma plateia e, por fim, The Ultimate Relationship Test, um reality de casais que apostam dinheiro como seu parceiro/a vai vencer um desafio.

OUTROS

Caitlyn Jenner e a capa da Vanity Fair continuam a ser assuntos, gerando opiniões completamente polarizadas e muito debate.  No NYTimes do domingo,  uma colunista criticava seu visual, argumentando o que define uma mulher; na Cosmopolitan, um artigo bem interessante, coloca o furor em perspectiva e discute as diferenças entre ser uma mulher e feminismo; e ainda no Daily Beast, uma boa explicação porque Jenner está incomodando tanta gente, dos intolerantes a fanáticos conservadores e feministas antiquadas.

Doug Herzog, responsável pela MTV, Comedy Central, VH1, Spike e TV Land, esteve no Promax esta semana em Los Angeles. Ele foi presidente do Comedy Central quando eles criaram o Daily Show, South Park e agora, Lip Sync Battle. Na sua palestra, ele disse que o maior desafio em criar conteúdo é a monetização, que os acertos vem da criatividade/storytelling/intuição e sorte, e que correr risco é fundamental.  

Outra palestra muito boa foi de Joel Beckerman, um mago de sonorização/música, que listou os 8 princípios (sonoros) mais eficazes para que o marketing seja mais eficaz: é o som que desencadeia outras reaçoes multi-sensoriais; é o áudio que conta a história; o som forja os movimentos; sons que não combinam com a marca acaba com toda a experiência; o som é o segredo para o envolvimento;  silêncio tem poder; o som quebra a tirania da tela; o som resolve problemas.