semana de 8 de novembro

NA TV

Desde sexta à noite, com o ataque terrorista em Paris, muito da programação da TV em dezenas de canais foi e ainda está sendo modificada em carry-the-future-today-151111-tease-01_406b87cc1a7da38234c959bcd924eb02.today-inline-largefunção da gravidade do ataque (violência como o fim e não o meio), mas como eu já tinha enviado a newsletter, vai só este parágrafo como informação – e uma materinha do Today que faz bem e tem a ver com o GNT: uma mãe da California, horrorizada com a foto do menino sírio morto na praia há algumas semanas, resolveu que ela podia fazer alguma coisa e fez.

Uma solução inteligente para juntar todo o  conteúdo relativo à comida do Today Show num lugar só: o Today Food Club, uma comunidade online que deve gerar newsletter, quizzes, receitas, vídeos, prêmios, etc. A semana inteira foi dedicada a este assunto.

O publicitário Donny Deutsch finalmente estreou sua esperada comédia Donny!, onde usa e abusa de metalinguagem.  Donny, que é comentarista da NBC, interpreta uma versão ficcional de si próprio, um pai solteiro que tem um olhar satírico sobre personalidades de mídia dentro e fora da tela. A personagem tem um talk show e tudo que faz “olhando para a câmera” faz sentido, assim, ele pode incluir produtos comerciais no centro da ficção, como fez no primeiro episódio com  molho barbecue (não deixa de ser uma maneira de financiar a própria série). No USA.

Na quarta, Stephen Colbert celebrou o aniversário do líder de sua banda, Jon Batiste, e a liberação dos direitos da música oficial de “parabéns” para domínio publico. E, brilhante como sempre, está disponibilizando 1200 versões de Happy Birthdays personalizados, todos cantados por Darlene Love (que sempre esteve no Late Night com Letterman). Há nomes como Javier, Ariana, Ruby, etc.

Ellen também teve parabéns esta semana: na quinta ela comemorou seus 2000 episódios. Para o especial, com vários convidados-supresa (surpresa para ela mesma), como Jennifer Aniston, que levou de presente um capacho, e Justin Timberlake.

O tradicional episódio da festa de Natal de Downton Abbey –– e finale da série — vai ao ar este domingo, 15. Vai ser “dramático” e os ingleses estão bem animados: como é a última, a audiência da temporada tem sido alta, batendo seu próprio recorde na Inglaterra no ITV domingo passado, com 8.8 milhões de espectadore e 39% de share e picos de 9.5M

A faixa de horario das 10 da noite, com pelo menos 15 séries de ficção, é a mais usada pelo DVR (isto é, gravada). Quantico (ABC), Supergirl (CBS) e Blindspot (NBC) foram foi muito bem, mas ao vivo quase todas tem audiência caindo –18% se comparadas com a faixa de horário do ano passado. O resto do primetime não sofreu tanto, caindo “apenas”  7%. Como resultado, o preço cobrado do anunciante naquela faixa que era até o ano passado excelente, caiu. Informação da  Ad Age.

E aqui vai uma pequena amostra como a grade não importa mais para o espectador: em janeiro, a Fox traz de volta a última temporada de American Idol e,para isso, está mexendo em todas as noites da semana. Junto com Idol, vem um drama (Second Chance) na quarta e duas comédias para o domingo, Cooper Barrett’s Guide To Surviving Life e a animação de Seth McFarlane Bordertown. Desta forma, Brooklyn Nine Nine, Last Man on Earth e Scream Queens  mudam de dia.

NOTICIAS E OUTRAS PLATAFORMAS

Para navegar o competitivo mundo digital de SVOD, os gigantes até há pouco apenas canais lineares estão se mexendo da seguinte maneira: CBS vai tirar uma franquia do baú (Star Trek), HBO tirou o gênio Jon Stewart da aposentadoria, a NBC está arregimentando comediantes e a ABC...também.Não se trata de apenas disponibilizar o conteúdo linear — isso não é suficente e eles vão todos estrelar as opções digitais. Análise do Variety.

E! Network vai estrear 8 títulos novos online. O primeiro deles é The Royal Hangover, criado para fazer par com a primeira série de ficção deles (The Royals). Depois vem a comédia Hashtaggers, sobre “ghost tweeters” de celebridades e mais quatro de não ficção em linha com o posicionamento do E!: TV Scoop, Ranked, Fashion Bloggers e Three to Be sobre moda e estilo. Todas vão estar no canal de YouTube de E!, no E! Online, aplicativo e mais redes sociais.

O novo Apple TV é ótimo, principalmente porque tem um controle remoto com botão “home”. Mas há uma série de aplicativos que funcionam como no telefone. Um deles é o Airbnb, com imagens de lugares que você pode visitar (mas não dá para reservar nada pelo aplicativo). Outro super divertido é o Sling Karaoke, para cantar como karaoke, ou o Ted, com várias conferências boas para assistir na TV.

Desde dia 13 na Netflix, Bob Oderkirk (o Saul Goodman de Breaking Bad) pode ser visto em novos (e antigos) episódios de sua comédia cult dos anos 90 Mr. Show with Bob and David, um grande sucesso de “comédia alternativa” da HBO entre 95 e 98. Protagonizado por Bob Odenkirk e David Cross, era uma comédia de sketches, com um excelente elenco (Jack Black, Sarah Silverman, Paul F. Tompkins, Mary Lynn Rajskub, Scott Aukerman, entre outros).

Um artigo interessante sobre anunciantes nos canais a cabo: a ameaça da Netflix é tão grande que eles estão reduzindo anúncios… Anaálise do Business Insider.

MARKETING

A CNN tem investido muito em ‘branded content’, bem mais do que uma expressão da moda hoje em dia. Primeiro foi o lançamento de seu estúdio Courageous em junho, agora chega Great Big Story,  um site de videos destinados a millenials e inteiramente patrocinado. Um dos projetos do estúdio que chamou a atenção foi para o Cinemax, para promover a segunda temporada de The Knick, onde eles compararam o mundo retratado na série e os dias de hoje (nos temas imigração, epidemias e cuidados médicos), usando imagens históricas, mapas interativos e gráficos.

The Hunger Games Mockinjay Part 2 estréia no dia 20, mas antes disso, a partir deste fim de semana, graças a um acordo com a Lionsgate, a NBCUniversal se transforma no “canal oficial” de Hunger Games, numa forma alternativa de branded content.  NBC, Bravo, E!, Oxygen, Syfy e USA vão mostrar matérias curtas, trailers e cenas do filme ao invés de apenas comerciais de 30″. No The Voice por exemplo, um especial de 13 minutos (The Hunger Games: The Phenomenon) que vai ocupar o break inteiro, um making of que vai ocupar outro, etc. O investimento da Lionsgate não é barato, porque com a ABC, por exemplo, eles garantiram Jennifer Lawrence no GMA e uma entrevista mais longa em primetime com Diane Sawyer.

Como fã de Scandal, acompanho a série e os tweets toda quinta feira. Mas esta semana houve uma enorme quantidade de informação sobre Shonda Rhimes, “usando” o lançamento de seu livro como desculpa, mas na verdade promovendo os dois últimos episódios de TGIT. Ela foi ao Jimmy Kimmel, ao Steve Colbert e ainda aumentou sua presença digital mostrando a cara numa promoção tie-in de TGIT com Star Wars. E por cima de tudo, o crítico Alan Sepinwall, que geralmente fala de lançamentos e episódios, compara Olivia Pope a Walter White.

DESENVOLVIMENTO

ABC está desenvolvendo uma série de comédias exclusivamente para sua plataforma de SVOD, WatchABC. A primeira será uma curtinha protagonizada pela standup Iliza Shlesinger.

O foco está claramente nos latinos na TV aberta este ano. Telenovela de Eva Longoria entra no ar o mês que vem (parece engraçado, não sei), Já a CBS está desenvolvendo um procedural com uma família mexicana-americana da California (como metade da população do estado), que tem presença importante na polícia, política e jornalismo.  Protect & Serve está sendo desenvolvida pelo mesmo criador de Blue Bloods, Leonard Goldberg. Goldberg, aliás, com Tom Selleck e Blue Bloods  foram os únicos que conseguiram levantar a audiência da sexta-feira, que era considerado “um dia morto” em primetime. Desde 2010 Blue Bloods tem performance sólida. Goldberg está no board da CBS e trabalhou em Charlie’s Angels, Hart to Hard, Fantasy Island e Starsky & Hutch.
Rich-Kids-of-Instagram

O Channel 4 inglês, que geralmente faz coisa boa, encomendou um título interessante: Rich Kids of Instagram. O documentário vai seguir os jovens herdeiros da elite mundial enquanto compartilham na rede social seus excessos, sejam selfies em super iates, em jatos particulares ou compras em Paris. O objetivo do documentário é mostrar o que acontece na vida dos riquinhos além das fotos – e que outros luxos os compele a compartilhar.