semana de 24 de janeiro, Ted Sarandos, Netflix

NA TV

Depois de 13 anos fora do ar, X Files provou ainda ter fôlego para atrair uma audiência: sua pré-estréia domingo, dia 24, fez média de 20 milhões no Live+3. Ao vivo, na Fox, foi programado para depois do football, que atraiu 40 milhões, fez 16. Manteve audiência no segundo episódio que foi ao ar em seu horário regular, segunda (nº 1 em seu horário com 9.7 milhões entre A18-49).  Foi a série mais vista da semana (junto com NCIS) — e a CBS tem 9 séries nos primeiros Top 10 em números totais.

Making a Murderer, a série da Netflix que expõe as falhas do sistema judiciário que incriminou Steven Avery, continua a ser o tema do momento. Há manifestações contra e a favor em todas as mídias. As equipes do NBC Dateline e Investigation Discovery produziram um especial em tempo recorde, exibido nos dois canais (reeditados, mas com o mesmo material, mais tendencioso no Discovery) sexta (na NBC, com audiência excelente, nº1 na faixa) e  sábado à noite (no ID).  Chama-se Steven Avery Guilty or Innocent? (NBC) e The State of Wisconsin vs. Steve Avery (ID).

Provando que são mesmo originais (e camaleônicos) em seus vídeos musicias, Jimmy Fallon Screen Shot 2016-01-29 at 9.02.21 AM& The Roots mimetizaram Sia na quarta para fazer uma cover de Iko Iko, um clássico de “carnaval creole” (Mardi Gras), incluindo a participação da outra convidada da noite, Natalie Portman. O vídeo “inspirou” o GMA, que, dois dias depois, soltou no Times Square dezenas de fãs com a mesma peruca de Sia.  Em outro quadro novo do Tonight Show, Jimmy  usou cartões com figuras pop com a desculpa de ensinar matemática.

 

Na quinta, a NBC chutou o balde e estreou You, Me and The Apocalypse,  uma comédia inglesa (da Sky1), com sotaque inglês, humor britânico, legendas sobre o italiano, alguns americanos “malucos” no pré-apocalipse. É estranha, visual diferente, não teve promoção alguma, mas a melhor coisa na NBC nestes dias.

No sábado passado, no SNL, a volta de Tina Fey como Sarah Palin foi a melhor coisa da campanha política até agora, a ponto de você não saber mais quem é quem…. E o departamento de figurino do SNL teve um turnaround super rápido para reproduzir a jaqueta que a própria Sarah Palin usou durante a semana.

Earlier tonight: recreating Sarah Palin's endorsement speech jacket. #SNLBackstage #SNL

A post shared by Saturday Night Live – SNL (@nbcsnl) on

Domingo que vem tem SuperBowl na CBS, isto é, o “Grande Festival de Comerciais Inéditos”. Este ano, além dos esperados spots da Coca Cola e Budweiser, alguns marinheiros de primeira viagem, como  Amazon, Colgate, Apartments.com, Pokemon (que tem cenas no Rio), Quicken Loans, a cerveja Shock Top  e SunTrust. Alguns comerciais já tem buzz online, como o da Snickers, com William Dafoe encarnando Marilyn,

 

NOTICIAS

BirthofANationNa quinta, começou o festival de Sundance, com Netflix e Amazon aparecendo como os grandes buyers disputando títulos para seu acervo. Amazon pagou $10 milhões por Manchester by the Sea, com Casey Affleck, batendo a Fox e Universal. Netflix pagou $7 milhões por Tallulah, com Ellen Page e Alison Janney, mais The Fundamentals of Caring (road movie com Paul Rudd e Selena Gomez), a comédia indiana Brahman Naman e Under the Shadow,um filme de horror no Iran. Mas a grande disputa mesmo foi para o filme “sensação” do festival, Birth of a Nation, ganha pela Fox Searchlight no deal mais caro da história do Sundance, 17.5 milhões. Netflix chegou a oferecer $20 milhões mas não levou porque o diretor não quis que o filme, que conta a história da rebelião escrava de 1831, estreasse online e no cinema ao mesmo tempo.

Fox se associou ao produtor musical Paul Oakenfold para criar e exibir um novo evento dedicado à música eletrônica, o Electronic Music Awards and Foundation. O especial vai ao ar no final de abril, com red carpet, prêmios aos grandes nomes da música eletrônica, homenagens e, obviamente, música eletrônica.

Pinewood Group, dona dos maiores e melhores estúdios em diversas partes do mundo, acabou de criar uma divisão de TV junto com a produtora inglesa StoryFirst para capitalizar a demanda de séries dramáticas inglesas e de qualidade. A nova divisão vai financiar, desenvolver e produzir séries na Inglaterra para o mercado internacional.  Só para dar uma idéia, os trabalhos mais recentes da Pinewood foram Star Wars: The Force Awakens, Spectre, Everest e Avengers: Age Of Ultron.

Capa da Time desta semana — e praticamente todos os jornais do planeta– a boneca Barbie  tem quatro novos tipos físicos. Para o lançamento, a Mattel criou um vídeo explicativo viral que também fez notícia.   Em nome de diversidade, a Barbie agora inclui bonecas de 22 cores de olhos, 7 de pele e 24 estilos de cabelo diferentes. O título da Time é ótimo: “can we stop talking about my body now?”

 

DESENVOLVIMENTO

A ABC encomendou 15 pilotos esta semana. Já registrei praticamente todos aqui , mas a novidade é uma série dedicada à moda.  Model Woman será produzido pela Sony, vai se passar nos anos 70 e contar a vida de Eileen Ford, que fundou a agência de modelos que leva seu nome. O piloto será baseado no livro Model Woman: Eileen Ford and the Business of Beauty.  Outra novidade é Conviction, um drama de Mark Gordon e conta a história da filha de um ex-presidente dos EUA que resolve reexaminar casos de criminosos culpados injustamente.

 

FOOD FOR THOUGHT e INSIGHTS

O grande sucesso da Netflix é seu negócio de distribuição — e daqui a pouco não vai mais fazer diferença que material produzem. Como Netflix escolhe que projetos desenvolver a cada ano? É o tema da entrevista que Ted Sarandos deu a Alan Sepinwall durante o TCA.

O comércio online está evoluindo rapidamente e agora podemos fazer compras no mundo inteiro sem sair da frente do computador. O Nielsen fez uma análise do crescimento das compras em outros países.

Lifetime UK quis produzir um promo supercolorido para destoar do inverno cinza, de dietas detox e dias curtos. Funcinou, é divertido e mostra o line-up de inverno: Real Housewives of Beverly Hills, Project Runway, Little Women: LA, Australia’s Next Top Model e Dance Moms

Este curta, lançado no Sundance, é sensacional. É um mash-up ou remix ou reinterpretação de The Shining — os diretores pegam suas imagens e contam outra história.