semana de 13 de junho – a tragédia de Orlando, o futuro da Netflix, Promax

NA TV

Não foram poucos os canais que derrubaram a programação no domingo passado para informar sobre o ataque em Orlando. À noite na CBS, a transmissão de entrega do Tony Awards teve a audiência mais alta em 15 anos (8.7MM entre A 18-49) em parte para ver como o espetáculo reagiria à tragédia (uma abertura sóbria do apresentador James Corden disse que o “show deveria continuar”), em parte porque Hamilton, que ganhou 11 prêmios, é realmente um fenômeno (conta com hip hop a história o primeiro tesoureiro americano, um imigrante).

anderson-cooper-3222fa46-5768-4f2f-a82d-2c3104c025dcNa segunda, todos os programas da mannhã e jornais estavam em Orlando. Anderson Cooper (CNN) teve que conter as lágrimas ao ler o nome das vítimas no ar e foi o jornalista com mais empatia no ar falando de si próprio como membro da comunidade gay. No late night, o tom de todos os apresentadores foi de tristeza e raiva, com a mesma gravidade de 9/11, exigindo maturidade e mudança  (compilação do Hollywood Reporter). Revistas e programas tinham alguma ilustração gráfica de solidariedade.

Facebook já tinha ativado seu “Safety Check”  em situações dramáticas e trágicas na França, Bélgica, Paquistão, Nigeria, India Chile e outros países. Jamais nos EUA — até este domingo.

Tanto a Comcast/NBCUniversal quanto a Disney doaram 1 milhão de dólares cada para o fundo de reserva que o prefeito de Orlando abriu para as famílias das vítimas. A Disney  ainda vai dobrar o que cada funcionário doar.

Se alguém tem interesse em saber mais porque não há controle sobre a venda de armas de guerra para qualquer um nos EUA e como há um boom de vendas depois de cada massacre, este artigo do Mother Jones explica. E, infelizmente, não vai acontecer nada.

89ea2e7b-fc86-4880-a874-ec6f2ebb90b82524375f-9d54-49ec-95e4-97dc0b669f286779d908-24cd-4e34-b406-738b4e22c386

Com o bufão Trump fora de controle falando bobagem, o late night não poderia deixar passar. Stephen Colbert (CBS)  fez um quadro engraçado (provavelmente a única vez que alguém ri de uma suástica). Por ter apontado um absurdo dito pelo do candidato, Trump também baniu de seus eventos um dos jornais mais populares dos EUA, o Washington Post (como já fez  com Politico, Huffington Post, Buzzfeed e outros), e em solidariedade, Seth Meyers (NBC) o baniu de seu programa, que o candidato à presidência retrucou com outro insulto (“só vou a programas que dão audiência”).

Um documentário com tema interessante foi ao ar no Showtime na quarta, In a Perfect World, sobre homens que cresceram com mães solteiras.  A própria documentarista do filme é mãe solteira e filmou seu filho em várias idades. As outras personagens são bem americanas mas o tema é bom, as entrevistas emocionais.

NOTICIAS
Segunda começou mais um Promax em NY. O time de marketing da CNN Worldwide ganhou pelo segndo ano consecutivo o prêmio de excelência em marketing. As conferências são sempre ótimas, muitas, com tópicos como raça e gênero influenciando conteúdo, integração de marcas com conteúdo (exemplo da Pepsi em Empire), Iphones e GoPros determinando um novo estilo de narrativa,  como grandes personagens fazem diferença em campanhas e tantos outros.

Facebook pretende aumentar a receita ao adicionar links para compra de produtos no Messenger. Exemplo: num chat, você pergunta para sua irmã se ela comprou flores para o dia das mães — um robô com inteligência artificial vai oferecer o link para a floricultura sem sair do chat e 15FACEBOOK-2-blog427você pode continuar a comversa  Isto se chama contextual commerce e vai permitir ao Facebook cobrar mais dos anunciantes.

Outra notícia deles é que estão desenvolvendo uma ferramenta para ajudar a prevenir suicídios, que agora tem a taxa mais alta em 30 anos nos EUA (em especial em Sillicon Valley). Algum post que chame atenção pode ser enviado ao Facebook, que vai facilitar a comunicação com o potencial suicida ou com alguém para intervir e sugerir o que dizer.

Amazon está preparando um serviço para stream música — e assim competir com Apple Music, Spotify e Google Play, os gigantes da tecnologia que entrando na música engoliram os serviços menores, como Pandora.

Netflix adquiriu os direitos internacionais do filme protagonizado por Ricky Gervais que é um spin-off do The Office, David Brent: Life on The Road. Estréia em 2017.
 
DESENVOLVIMENTO

Amazon também está entrando na culinária e desenvolve uma série (6 episódios) com o chef Emeril Lagasse,  Eat The World With Emeril Lagasse. A docu-série segue Lagasse e alguns de seus chefs amigos (como Mario Battali, José Andrés, entre outros) em visitas a algumas de suas cidades favoritas no mundo (China, Cuba, Coréia do Sul, França, Itália) para falar da história, teecnica e tradição culinária.

Netflix tem uma animação teen em desenvolvimento para 2017, Big Mouth with Kroll. Serão 10 episódios sobre a vida de dois amigos adolescentes lidando com os problemas da puberdade. Além disso, eles estão lançando no final de Julho seu primeiro documentário de esporte, Last Chance U, sobre futebol americano universitário..São 6 episódios feitos em parceria com a revista GQ/Conde Nast Entertainment.

Larry David resolveu fazer uma nona temporada de Curb Your Enthusiasm para a HBO. O anúncio foi festejado pela mídia especializada como a seegunda vinda de JC à terra.

FOOD FOR THOUGHT

Uma grande matéria na revista do NYTimes sobre o futuro da Netflix analisa como podem sobreviver no mundo que eles mesmos criaram.

Segundo o Nielsen, os livros de colorir para os adultos subiram de 1MM em 2014 para 12MM em 2015. Quem está comprando? mulheres millenials.