semana de 8 de agosto — Peak TV continua, streaming ameaça, Wine Show encanta

NA TV e EM OUTRAS PLATAFORMAS

Como já se leu por aí, o primeiro fim de semana de Olimpíada teve a audiência mais baixa Screen Shot 2016-08-12 at 5.28.03 AMdesde Barcelona em 1992. Sabe-se que há audiência na internet (12-13MM) e em outros canais do grupo da Comcast, como Bravo e NBCSN. A média em primetime da NBC tem sido de 27-28MM entre 18-49A, um bom número e que sobe para 34MM, somados os outros dois canais. Isso até Michael Phelps entrar na água: aí o número subiu para 29MM na segunda, 33.6MM na terça (13.4MM online). Não se pode achar um vilão só para audiência baixa, mas mudou-se o jeito de ver TV, como bem reflete a CNN. E com os números acima da média, o desafio é mesmo fazer a audiência voltar durante o ano — e para isso a Comcast/NBC está gastando o equivalente a 54MM em promos (1300 spots).

Com 5.6MM de assinantes YouTube e mais de 1 bilhão de views desde que foi lançada, a plataforma Screen Junkies fala de cultura pop com ironia e humor e que acabaram lhes rendendo uma indicação ao Emmy de videos curtos (tradução livre para short form). E para promover a indicação, eles aplicaram o estilo de humor de Honest Trailers  para todas as séries indicadas este ano (em drama e comédia). É bem engraçado. Desde Novembro, eles também tem um canal de SVOD,  Screen Junkies Plus, para novos episódios e extras ($59/ ano).

O atual darling da mídia -e de todo mundo – Lin Manuel Miranda, invadiu o Instagram da Disney Animation esta semana e cantou temas de The Little Mermaid, Aladdin e Beauty and the Beast, entre tantos outros. Deveria mesmo estar promovendo a trilha de Moana, mas como ele é bem simpático, começa a criar buzz em volta de Mary Poppins, onde ele será um dos protagonistas.

janetableread

Além dos atores de Scandal, os de Jane The Virgin (CW), Scream Queens (Fox) e How To Get Away With Murder (ABC) estão usando o Instagram para promover suas novas temporadas, com fotos diárias das leituras e da “volta ao trabalho”.

Netflix vai lançar quatro novos documentários no Festival de Toronto, TIFF: um sobre Amanda Knox, a americana presa e absolvida na Italia pelo assassinato de sua roommate inglesa,  Into the Inferno, de Werner Herzog, sobre o relacionamento das pessoas com vulcões; The Ivory Game, produzido por Leonardo DiCaprio sobre o trafego de marfim e The White Helmets, sobre três voluntários que ajudam refugiados Sírios.

 

NOTICIAS

20th Century Fox Television assinou um first-look deal com um produtor da Broadway (por trás do sucesso de Wicked e de Grease: Live) e com o diretor de Grease Live e do fenômeno Hamilton, Thomas Kail. Os dois devem desenvolver projetos de ficção para o estúdio.

No domingo durante o TCA, a Amazon apresentou 10 novas séries, que devem estrear até o fim do ano. Entre elas, Crisis in Six Scenes, de Woody Allen; One Mississippi, com a comediante Tig Notaro, Fleabag, sobre a vida de uma mulher onde tudo está dando errado; Goliath , de David E Kelley, criador de Ally McBeal e Boston Legal; e Good Girls Revolt.E no ano que vem, uma docu-série sobre a Playboy: American Playboy, Hugh Hefner Story.

No dia do Showtime, o CEO David Nevins prestou contas do stand alone OTT deles: 1MM de novos assinantes que não canibalizam o canal por assinatura. Segundo ele, a mudança de estratégia de programação (uma estréia por mês, começando em Setembro com Masters of Sex) também ajudou. O serviço OTT custa $11/mês.

Wine Show está chegando por aqui e as(os) americanas (os) estão encantadas(os) com Matthew Goode e Matt Rhyss, como mostram dois artigos da NY Mag / Vulture esta semana.

DESENVOLVIMENTO

 A série de mockumentaries do IFC, Documentary Now, volta ao ar em Setembro e vai parodiar uma série de filmes famosos: Jiro Dreams of Sushi (Juan Likes Rice & Chicken), Swimming to Cambodia (Parker Gail’s Location Is Everything), Stop Making Sense (Transmission) e The Kid Stays in the Picture (Mr. Runner Up: My Life as an Oscar Bridesmaid, Part 1 and Part 2). A série é apresentada por Helen Mirren e terá participações de Mia Farrow, Anne Hathaway, Peter Fonda e Maya Rudolph.

Starz está com foco nas mulheres agora. Eles estão desenvolvendo Pussy Valley, uma série sobre strippers do Mississippi e adaptando o romance Dirty Girls Social Club, sobre 6 executivas em NY que se conhecem desde o colegial. Outlander, que é uma de suas séries mais populares, sobre a enfermeira que é transportada para 1743, deve ter mais de 4 temporadas.

Disney Channel está desenvolvendo Andi Mack, uma nova comédia de Terri Minsky, criadora do fenômeno Lizzie McGuire. A história será centrada em outra adolescente, Andi, e falar das alegrias e tragédias da juventude moderna. Andi Mack tem 13 anos e seu mundo vira do avesso quando a irmã problemática volta a morar com a família.

Fox está desenvolvendo um Game Show musical e interativo baseado no aplicativo Shazam. Beat Shazam, produzido por Mark Burnett, terá times competindo para acertar “qual é a música”.

Robert De Niro e Julianne Moore vão protagonizar uma série de David O. Russell (o diretor queridinho de Jennifer Lawrence). A série deve ser um drama policial que se passa nos anos 90 e está sendo oferecida aos canais agora, época de pitches.

Showtime anunciou o desenvolvimento de Purity, uma série que terá apenas 20 episódios (2 temporadas) , com história baseada no livro de Jonathan Franzen e protagonizada por Daniel Craig. E também Mating, uma antologia do criador de Parenthood, Jason Katims, sobre o homem divorciado tentando se conectar emocionalmente.

FOOD FOR THOUGHT
peaktv in2017

Mais uma previsão de John Landgraff, CEO do FX, e autor da expressão Peak TV: antes de 2019, o boom de produção não acaba. Armado de gráficos, sua apresentação no TCA foi, mais uma vez, provocadora e analítica.Só este ano, já foram exibidas 322 séries de ficção  (excluindo as estrangeiras e infantis), um número que deve crescer para mais de 430 até o fim do ano — principalmente por causa dos canais OTT, Amazon, Crackle, Hulu e Netflix (que está produzindo 71). No Variety, ele fala sobre o perigo de Netflix ser um monopólio.

Nesta mesa redonda promovida pelo Hollywood Reporter, os chefões da TV paga — Richard Pepler da HBO, Nancy Dubuc, A&E, Bonnie Hammer, NBC Universal, Josh Sapan, do AMC e Ted Sarandos, Netflix — falam sobre como se destacar no poluído universo de entretenimento atual, o futuro da TV e a ameaça da Netflix. Ted Sarandos, por sua vez, disse não estar preocupado com as comédias da ABC, mas sim com Pokemon Go e os “$200 million blockbuster movies.”

E este é um bom artigo da Vulture sobre a produção atual das séries de ficção e como não conseguem atingir a qualidade de suas primeiras temporadas. Todas elas parecem desandar na segunda temporada. Série boa agora só consegue ter um número limitado de episódios. Se me perguntam porque nenhuma original conseguiu decolar no Brasil ainda? Por causa do ego dos roteiristas e diretores.