semana de 12 de setembro — monopólio Netflix, Harajuku Girls animadas, canais OTT em abundância

NA TV e STREAMING

Mesmo com o incidente envolvendo Ryan Lochte na estréia de Dancing With The Stars (ABC) na segunda, a audiência foi ótima (25% a mais que na temporada anterior): 12.19MM.

A Olimpíada, aliás, deu lucro à NBC de U$250milhões, de acordo com seu CEO, Steve Burke. É mais que o dobro do lucro da Olimpíada de Londres.

Esta semana a NBC estreou um novo programa vespertino de variedades, Harry, com Harry Connick Jr. A audiência foi boa, servindo de lead in para Ellen, que está mais inspirada do que nunca. Na terça, ela levou Michelle Obama à drugstore, para que comece a se acostumar à vida normal.

Blindspot (NBC) voltou ao ar em novo dia: quarta (era segunda) com audiência regular.  Só não foi pior por causa do lead in, o finale de America’s Got Talent, que teve 15.4MM de espectadores.  Better Late Then Never terminou sua mini-temporada (4 eps) com audiência ótima, estável (7MM+), ganhando sua faixa.  Na TV paga, a volta de American Horror Story (FX) foi excelente, nº1: 5.1MM (e o FX só se solidifica como o melhor canal a cabo hoje em dia).

A segunda temporada de Documentary Now (IFC) estreou com uma sátira ao documentário político The War Room (sobre a campanha de Clinton para a presidência em 1992). É um programa alternativo para uma audiência de nicho,  mas é engraçado. Nesta temporada, os criadores Fred Armisen e Bill Hader ainda vão satirizar Jiro Dreams of Sushi (Juan Likes Rice and Chicken) e Stop Making Sense (Final Transmission).

Para promover a estréia, o IFC fez uma parceria com a CNN, que criou uma spot original protagonizado por personalidades envolvidas com o evento real que o mockumentary satiriza, como o estrategista James Carville e a assessora de imprensa da Casa Branca da época de The War Room, Dee Dee Myers.

Saiu o trailer da primeira série de Woody Allen, Crisis in Six Scenes. A história se passa em 1960 e é sobre uma família suburbana que tem seu comportamento conservador desafiado por uma jovem hippie (Miley Cyrus, estreia oficial dia 30 de setembro na Amazon).

Outra estréia elogiada na Amazon esta semana,  One Mississippi, uma comédia (bem) dramática sobre a morte. Humor negro, claro, e não muito fácil de assisitr. Co-criada por Diablo Cody e Tig Notaro, é centrada em uma mulher que sobrevive a um câncer de mama, mastectomia dupla e a morte da mãe.

Masters of Sex, que conta a história dos pioneiros na pesquisa sobre comportamento sexual, Virginia Johnson e William Masters, voltou ao ar no domingo (Showtime). A história agora se passa em 68, 12 anos após o início da série, e Hugh Heffner tem um papel importante na vida do casal. A audiência desta série é baixa ao vivo mas chega a quadruplicar com DVR.

 

 NOTICIAS


  A Time Inc. lançou um canal OTT muito bom esta semana, PeopleEWNetwork. O conteúdo é baseado nas duas revistas, People/Entertainment Weekly, tem anunciantes (é AVOD), o foco é em cultura pop e celebridades e serão 300 horas novas no primeiro ano de programação. Lionsgate  e Univision vão lançar no ano que vem um  serviço de SVOD de filmes para o mercado hispânico bilingue — na programação, campeões de bilheteria em espanhol, produções da Televisa e acervo da Lionsgate (de 16 mil filmes). E a Turner também planeja lançar o seu canal OTT no ano que vem para seus canais CNN, Cartoon e TNT.

grace-coddington-30-years-of-fashion-at-vogueÉ época de Fashion Week em NY e uma das figuras mais carismáticas da moda, Grace Coddington, aproveitou o evento para lançar um livro com 300 de suas melhores fotos e 30 anos de moda (o livro tem 400 páginas), Grace: The American Vogue Years (Phaidon) . Ela deixa o cargo de diretora criativa da Vogue em Janeiro.

Matthew Weiner (criador de Mad Men) também lança um livro, mas no ano que vem. Chama-se Heather, the Totality e poderia muito bem ter sido série de TV: várias personagens estão obcecados por uma jovem chamada Heather.

kuu_kuu_harajuku_still-95387c49-bb4a-4736-bf85-6d581125f6efThe Harajuku Girls é uma série de animação produzida por Gwen Stefani que vai estrear no Nickelodeon agora em Outubro. Kuu Kuu Harajuku tem 26 eps, já foi exibida na Australia em 2015 e retrata a cultura pop japonesa, em especial as aventuras musicias de um grupo de backing vocals feminino HG5 (Love, Angel, Music, Baby e sua líder G) combatendo políticos e monstros alienígenas. É um assunto que Gwen entende: em 2004, seu album solo de estréia Love. Angel. Music. Baby apresentou quatro Harajuku Girls em diversas canções.

Uma pesquisa do Instituto Gallup divulgada esta semana mostra a falta de confiança dos dkvnto6zb0kw5c0shdj57qamericanos na imprensa: 32%, o nível mais baixo até hoje (é a ilustração aí ao lado) e muito se deve à retórica republicana de Trump anti-jornalismo. Entre os republicanos, a confiança cai para 16%.

E outra do Video Advertising Bureau aponta uma queda mensal de 12% de time-shifting viewing (quem assiste TV depois que o programa foi ao ar) no primeiro semestre de 2016.  Atualmente no horário nobre, 77% de toda TV é vista ao vivo (entre A 18-49), enquanto 23% é vista pelo DVR. Durante o dia, 80% é ao vivo e 20% com DVR.
 
FOOD FOR THOUGHT

Com o Emmy no fim de semana, uma série de grandes reportagens sobre o “estado das coisas” está sendo publicados na mídia especializada. Esta é do Hollywood Reporter e aponta a Netflix como um monopólio, “o Google de Hollywood”, uma empresa que está gastando US $ 6 bilhões por ano em programação e “sufocando a TV paga”.

Para surpresa de muitos, Rizzoli &  Isles, uma série procedural sólida, com fãs fiéis, foi cancelada. Há uma explicação e neste artigo do LA Times, o presidente Kevin Reilly, que está no cargo há pouco mais de um ano, fala das táticas para estes novos tempos de erosão da audiiencia — entre elas, a diminuição de comerciais, algo impensável até alguns anos.

Alicia Keys realmente abraçou a causa de #nomakeup e não fala noutra coisa (se me perguntam, está no limite da chatice).  Mas o debate continua, agora com o NYTimes dando um pouco mais de perspectiva.