semana de 18 de dezembro – êxito digital Condé Nast, dança dos executivos, eficácia dos especiais de Natal

NA TV

Na segunda no CW, a revista Marie Claire lançou pela primeira vez um prêmio para mulheres que foram fonte de inspiração durante o ano. Marie Claire Young Women’s Honors premiou sete jovens vindo de diversas partes do mundo, a quem chamou de Unstoppables, como a ginasta Simone Biles O programa de TV foi produzido e apresentado  por uma das estrelas da casa, Gina Rodriguez (de Jane The Virgin) e a audiência foi baixíssima (0.5MM).

Também na segunda, Oprah voltou ao primetime para conversar com Michelle Obama, em sua última entrevista antes de sair da Casa Branca. A primeira dama mostrou sua força política, mesmo que não seja candidata a nada, repercutindo no Twitter e até no dia seguinte. 9.47 milhões de audiência. Vários trechos estão no canal de Oprah no YouTube.

Durante o programa, a CBS aproveitou para lançar o primeiro promo do spin off de The Good Wife, The Good Fight, que estréia em 19 de Fevereiro (apenas na plataforma digital, CBS All Access). The Good Fight será protagonizado por Christine Baranski (a mesma Diane Lockhart), Cush Jumbo (Lucca) e a Ygritte de Game of Thrones, Rose Leslie.

Uma terça musical na NBC, com Michel Bublé às 8, Tony Benett  às 9 e, no late night,  Jimmy Fallon fez um sing-a-long muito fofo, com The Roots, Scarlett Johansson, Matthew McConaughey (que está indo passar o fim de ano no Brasil) e Reese Witherspoon. Na ABC, uma noite dedicada à cultura pop com a retrospectiva do ano, Year 2016. Na quinta, outro especial da ABC revisitou as personalidades do ano, The Game Changers, como o dramaturgo Lin-Manuel Miranda, a modelo plus size Ashley Graham e o nadador Michael Phelps, entre outros.  Na sexta, um Shakespeare de gala na PBS,Shakespeare Live! From the Royal Shakespeare Company  com Benedict Cumberbatch, Judi Dench, Ian McKellen, Helen Mirren.   E quase todas as noites algum longa de animação: Toy Story (ABC), Shrek (ABC), Ice Age (FOX), Charlie Brown (ABC), The Grinch (NBC).

Para provar a efetividade disso tudo,  o Instituto Nielsen fez uma análise do alcance da programação especial de holiday-tv-reachfim de ano com dados de 2015. O resultado é que ela funciona melhor com mais velhos (acima de 55 anos, 85% reach e 73 milhões) e crianças (72% reach e 28 milhões), como ilustra o gráfico aí ao lado.

STREAMING e outras NOTICIAS
O Food Innovation Group da Condé Nast teve um excelente 2016 na área de gastronomia, com o dobro da receita do ano passado, principalmente por ter abraçado o mundo digital: Bon Appétit (a revista em multi plataformas), Epicurious (website e app), The Farm (divisão de branded content) e o FIG Influencers Network (blog). Impossível não esbarrar neles online.

 Comedy Central está experimentando com branded content no lugar de comerciais. São dois minutos e meio por mês e os primeiros foram Handy, um vídeo cômico em linha editorial do canal, onde a personagem é modelo de mãos de Joe’s Crab Shack (uma cadeia de restaurantes) e Old Spice.

Um dos criadores do Comedy Central, Doug Herzog, executivo da Viacom de mais de 30 anos (e em algum ponto, meu chefe) está saindo da empresa. Mais uma mudança no management da Viacom e mais uma indicação que as coisas não vão bem. Ele não será substituído e Bob Bakish, o CEO, será responsável pela MTV, Comedy Central e Spike TV.

O Hollywood Reporter fez uma compilação de todas os executivos da indústria envolvidos em escândalos e brigas pelo poder este ano. Não foram poucos.

facebook-status-color Instagram apresentou novas ferramentas para “contexto e criatividade” (stickers) nos moldes de Snapchat. Facebook também tem novidades, agora oferecendo ao usuário mudar a cor de fundo de seu status para chamar ainda mais atenção na linha do tempo.  Esta semana para usuários de Android, em alguns dias, para os de Iphone.

ABC está fazendo um aftershow para exibir depois de seu popular reality The Bachelor. Mas dferente de todos os outros aftershows (Empire, Talking Dead, This is Us, Better Call Saul) o da ABC vai estrear no Snapchat Discover e o primeiro é Watch Party: the Bachelor, que estreia dia 3 na manhã seguinte à da 21ª temporada de The Bachelor.  No Watch Party diversas celebridades e fãs do reality vão comentar o que viram no episódio.

Séries israelenses, que tem despertado a curiosidade desde o remake de In Treatment e Homeland, estão encontrando um público na web. Há muito conteúdo original em Israel, sempre mais ousado que suas versões americanas. Alguns títulos recentes: Confess TLV, sobre os encontros online em Tel Aviv; The Israeli Girls, onde diversas mulheres exploram os problemas relacionados àmulher; Bar Mitzvah, sobre um garoto e seus dois pais, Messiah, um mockumentary, e The Jews Are Coming. Os distribuidores mais conhecidos tem seus próprios portais  para mostrar conteúdo, como Keshet, no Mako, e Dori Media, com seu MeMeMe.


BBC Studios,
o braço de produção de TV da BBC,  vai lançar em Abril uma subsidiária para criar conteúdo comercial para qualquer outro canal.

MAIS LISTAS
A lista de melhores do ano do crítico de TV Brian Lowry (ex-Variety, atual CNN).
Os melhores momentos políticos de acordo com a Entertainmento Weekly.
Os melhores momentos musicais, ou melhor, o uso da música em algumas séries, de acordo com a Vulture.

 

DESENVOLVIMENTO

A&E, agora mais voltado para assuntos “sérios”, estava desenvolvendo uma série de não ficção sobre a Ku Klux Klan para estrear logo em janeiro. Generation KKK ia discutir a retórica racista e extremista do crubo de ódio mais antigo dos EUA.  O anúncio sobre a série despertou a ira de Ellen Pompeo (de Grey’s Anatomy), que com um tweet pediu o boicote à série, chamando o canal de “patético” e “desesperado”. Seguiram-se protestos generalizados diretamente com o canal e, na véspera de Natal, eles acabaram cancelando a série, citando vilação do código de ética da empresa.

A CBS recentemente mostrou especiais colorizados de sucessos do passado (como I Love Lucy e Dick Van Dyke Show)  e já refez McGyver e Hawaii 5-0, sempre com sucesso. Eles agora estão desenvolvendo um remake de outra comédia antológica da TV americana, The Honeymooners, história de dois casais amigos e vizinhos que revisitam sua dinâmica quando um deles se divorcia e casa de novo. Fez sucesso em 1955 com Jackie Gleason. O remake terá o mesmo formato e se passar nos dias de hoje.

Uma das comédias mais idolatradas pelos americanos, How I Met Your Mother, vai gerar um spin off, How I Met Your Father. Será escrita por dosi roteiristas de This Is Us e tratar da mesma história original (que durou 9 temproadas na CBS) mas do ponto de vista feminino. Produção da 20th Century Fox.

 

FOOD FOR THOUGHT
book-setMatthew Weiner está finalmente encerrando a fase Mad Men de sua vida ao lançar um livro de dois volumes sobre a série. A publicação é da Taschen, tem dois volumes, custa $200  e pesa 7 quilos! No Ad Week, ele fala do conteúdo do livro, que está preparando desde a terceira temporada e também faz uma reflexão sobre o que Mad Men o ensinou sobre propaganda.