semana de 15 de janeiro – Cosmopolitan vira duas séries, NATPE termina, uma nova era começa

NA TV

O domingo passado foi de estreias (todas com números modestos):  Homeland voltou ao Showtime(e o primeiro ep já estava disponível online), The Young Pope chegou à HBO, é chatíssimo, e, para os carentes de Downton Abbey,  Victoria estreou na PBS, contando a história da tataravó da rainha Elizabeth. Mas o melhor e mais inteligente da noite foi o cross-promo da HBO para John Oliver: para promover sua volta, ele passeia por outros programas “da casa”.

Na terça e quarta, a PBS exibiu um documentário de 4 horas, Divided States, que tentou responder o que não tem resposta: como chegamos a isso (Trump)?  E o que o doc fez muito bem foi mapear o clima tóxico da política no país hoje.

Trump resolveu comprar uma briga com o Today Show esta semana, que fez uma matéria mostrando que os novos empregos não são resultado do presidente eleito (que quer levar o crédito). Trump chamou o Today de fake news (como já fez com CNN e tantos outros órgãos de imprensa).

Uma nota editorial: os Obamas tem classe e suas idas à TV valiam notícia. Já este presidente, narcisista, dramático e com vocabulário de pré-primário, vive na frente da câmera e será impossível falar sobre tudo, portanto vou ignorar sua relação com a mídia. Vai só esta entrevista muito boa com Jeff Zucker sobre como a CNN cobriu e vai cobrir Trump.

Pela primeira vez em 13 anos, a CBS tem uma série nova no sábado à noite, o dia da semana com menos pessoas usando a televisão. É o drama policial Ramson, sobre um sequestro e um negociador. O primeiro episódio, no dia 1º de janeiro, teve saudáveis 6.7MM, o segundo, como é previsto, caiu e o terceiro vai ao ar amanhã. Ramson custou metade do que normalmente custa uma série de broadcast, é uma co-produção canadense e francesa (do estúdio EOne).

Dois documentários, The Rolling Stones Olé (que documenta a turnê do grupo) & Havana Moon (show) e que estrearam no Festival de Toronto, chegam à TV e ao Starz este domingo.

 

NOTICIAS, MARKETING e OUTRAS PLATAFORMAS

euescreengemsstudiosinpartnershipwithviacomintlstudios_buildingshotNATPE terminou na quinta, dia 19, nos hotéis Fontainebleau e Eden Roc em Miami e um dos Keynote Addresses foi de Bob Bakish.  Ele é o novo CEO e Presidente da Viacom, veio da área internacional e tem 20 anos de casa. Em sua conferência, disse que Paramount não está à venda,  que vai tentar integrar mais Paramount e CBS ao resto da empresa, que a compra da Telefe significou o fortalecimento da marca nas três regiões onde a Viacom comprou canais abertos (Inglaterra, India e Argentina). Finalmente, disse que vão produzir novelas na Telefe para o resto do mundo (!!!). À noite, uma festa abriu os novos estúdios da Viacom em Miami, com tours pelos cenários, todos sendo usados pela Nick americana.

As agências de talento americanas estavam todas no NATPE, curando e participando da maioria das sessões. Numa delas, um dos principais agentes de Hollywood disse que o segredo para atrair grandes nomes para a televisão é dar liberdade criativa aos autores diminuindo os comentários que os executivos fazem. Outra nota interessante: o fenômeno de binge-watching faz sentido para o negócio de séries antigas, por exemplo, Friends ou Seinfeld, que continuam atraindo audiências que veem diversos eps seguidos.

Também no NATPE, (meu ex-chefe e amigo) Emiliano Calemzuk anunciou uma plataforma digital de conteúdo latino chamada Raze, feita em parceria com United Talent Artists e Latin We, a agência de Luis Balaguer e Sofia Vergara. Conteúdo curto para millenials e geração Z e programas tradicionais para a TV (o primeiro estreou na Univision no domingo).  Tudo que Sofia gerar em mídias sociais vai primeiro para o Raze.

O Presidente Obama escolheu Facebook para fazer sua cartinha de despedida ao povo americano. “Vocês fizeram com que eu me tornasse uma pessoa melhor”. Como já sabemos, o novo presidente prefere o Twitter (e já é o 68º na lista de mais seguidos, com 20 milhões de seguidores). Obama também ofereceu uma visita da Casa Branca em Realidade Virtual no Facebook 360.

scandal_gladiator_wanted_btsEsta é uma boa ideia para promover uma série em outras mídias. Scandal, que volta ao ar na ABC quinta próxima lançou uma série de 6 mini eps no site que foi dirigida por uma das atrizes (Darby Stanfield).  É uma espécie de spin-off da trama principal, onde os funcionários de Olivia Pope entrevistam novos candidatos para a posição de “gladiadores” (só quem vê a série entende). 6 eps disponíveis uma semana antes da série voltar ao ar. Muito bom.  Scandal foi uma das primeiras a usar o Twitter para ferramenta de marketing (com os atores falando com o público durante o episódio).

A CNN estreou uma série de vídeos curtos sobre criadores de diversas áreas artísticas, entre eles Ava Duvernay, Nathalie Portman, Sarah Jessica Parker, e Jon Favreau. Creators conta suas trajetórias criativas. 

Mais um novo canal se vai do linear para digital, Esquire. A notícia chega um mês depois que perderam 15 milhões de assinantes quando a Direct TV e AT&T deixaram de distribuí-lo. Lançado em 2013 com target masculino de alto poder aquisitivo, consegui apenas 146 mil espectadores em média em prime time. A parceria com NBCU e Hearst continua, agora apenas como plataforma digital.

Por outro lado, a PBS está lançando um canal 24h para crianças, PBSKids. O canal é aberto, estreou esta semana em 75 redes locais, com transmissão ao vivo online (pbskids.org) e no aplicativoe deve expandir para outros 108 locais até o fim do ano (90% dos EUA).

O Ovation TV comprou a segunda temporada de Versailles, produção do Canal+ e Zodiak (vendida no resto do mundo pela Banijay Rights). A primeira temporada estreou em Outubro e foi a maior audiência no canal até hoje. A história foca em Louis XIV e a construção do castelo que dá título à série enquanto tenta ter controle da França.

A ótima Sneaky Peak de Bryan Cranston e David Share que acabou de estrear na Amazon, também foi renovada.

 

DESENVOLVIMENTO
Em desenvolvimento no National Geographic, duas séries interessantes apresentadas no TCA: Genius, sobre Einstein, com Geoffrey Rush  e How To Survive a Plague: The Inside Story of How Citizens and Science Tamed AIDS.  Em Genius, produzido por Ron Howard, vemos os primeiros dias de Einstein em 10 eps, rebelde e com dificuldade de aprender.   Em How to Survive a Plague, outro superprodutor (Scott Rudin) conta, em forma de thriller, o  crescimento do mercado underground de drogas em oposição ao AZT nos anos 80.

Também durante o TCA, Freeform (ex-ABC Family) anunciou o desenvolvimento de um drama inspirado na vida da ex-editora da Cosmopolitan, Joanna Coles. Chama-se  The Bold Type, foi criado por uma das autoras de Parenthood, Sarah Watson, e é uma obra de ficção (que estréia no verão).  Ao mesmo tempo estreando agora em 8 de Fevereiro no E!, a versão real da vida de Joanna Coles: So Cosmo,  um reality com as editoras, fotógrafos e todos que realmente fazem a revista acontecer. Bem mais AB Fab do que Devil Wears Prada…  A própria Joanna Coles está envolvida nas duas séries.

Em desenvolvimento para a HBO há mais de um ano, o talk show The Gorburger Show vai virar série da 8 eps no Comedy Central. Foi criada pelo ator de Sillicon Valley, TJ Miller, que também fará a voz da personagem principal, um boneco, um monstro que chega do espaço, toma conta de um talk show japonês e faz entrevistas com celebridades para  tentar entender a raça humana.

FOOD FOR THOUGHT

Adidas tem sido uma das marcas mais ousadas na TV e esta semana eles estrearam um spot que combina Snoop Dogg com Frank Sinatra, parte da campanha Original Is Never Finished. No ano passado, esta mesma campanha tinha convidado 10 artistas para apresentar sua visão de futuro.

No AdWeek, um infográfico ilusta como o storytelling consegue fazer com que produtos sejam vendidos.