semana de 5 de março – vozes femininas em abundância, política afeta Fallon, OTT bundles

NA TV

FX estreou domingo a nova antologia de Ryan Murphy, Feud, sobre os desentendimentos das duas atrizes principais de What Happened do Baby Jane, Bette Davis e Joan Crawford, filmado em 1962. Para promovê-la, material inspirado na época, como o technicolor deste promo e uma campanha que usou toda iconografia do glamour hollywoodiano. Fez (bons) 2.2MM de audiência.

Na quarta, finalmente foi vez de The Americans, a melhor série no ar hoje em dia e que inesperadamente se tornou relevante para os americanos (os protagonistas são espiões russos). Os números de estreia foram péssimos (960 mil) mas além de subir no Live +7, a terça tem This is Us na NBC, que teve sua maior audiência: 11 milhões. É a última temporada de The Americans e a arte principal se manteve consistente até hoje:
Quinta, a Lionsgate estreou seu primeiro reality na Fox, produzida em parceria com a Sony. Kicking and Screaming junta 10 especialistas em sobrevivência a outros 10 mimados e despreparados para encararem desafios numa floresta remota.

A vitória de Stephen Colbert (CBS) no late night pela quinta semana consecutiva está obrigando Jimmy Fallon (NBC) a rever seu conteúdo. Não é uma época para “fun and games” e Fallon começou um quadro mais político às sextas feiras, This Week in Words.

Um jornalista está inesperadamente se destacando nestes conturbados tempos de palhaçada política: Scott Pelley, âncora do jornal da CBS às 6:30 que narra com clareza e sem filtro as ações do presidente. Na TV paga, até o program de notícias (diário) de Rachel Maddow na MSNBC ficou no Top 10 esta semana.

 

NOTICIAS, MARKETING  & OUTRAS PLATAFORMAS

No dia 8, dia de greve e apoio às mulheres, A Day Without a Woman, teve apoio da mídia de formas distintas e divertidas. A MTV virou o logo de cabeça para baixo para virar um W, o Popsugar lançou uma pagina no Facebook chamada We Rise para    revelar mulheres quebrando barreiras, o Snapchat lançou um filtrou com a sobrancelha única de Frida Kahlo (esta aí do lado é Kim Kardashian), Netlix fez uma mini-homenagem com suas personagens via Twitter, mulheres não trabalharam no Spotify, Tumblr, NYMag, Fusion, Jezebel, Univision, CAA, UTA no late night, produtoras, etc.

Além disso, o YouTube lançou a campanha #HerVoiceisMyVoice, com um vídeo muito bom que imediatamente disparou para os trending topics. Como parte da campanha , uma lista com os comerciais de YouTube mais vistos por mulheres para desmistificar os hábitos femininos:

  1. Nike, “Unlimited You,” 37.9 milhões de visualizações
  2. Always, #LikeAGirl — Keep Playing,” 27.7 milhões de visualizações
  3. Pokemon, “#Pokemon20,” 22.3 milhões de visualizaçõesews
  4. Nike, “Unlimited Future,” 25.1 milhões de visualizações
  5. P&G, “Thank You, Mom — Strong,” 22.3 milhões de visualizações
  6. Always, “#LikeAGirl — Girl Emojis,” 18.9 milhões de visualizações
  7. Momondo, “The DNA Journey,” 15.3 milhões de visualizações
  8. Dove U.S., “Beauty on your own terms,” 12.8 milhões de visualizações
  9. Vaseline, “The Vaseline Healing Project,” 6.8milhões de visualizações
  10. Secret, “Ladies’ Room — #StressTest,” 6.5 milhões de visualizações

Também no dia 8,  Tory Burch lançou a campanha Embrace Ambition, inspirada na sua própria trajetória como empresária, que critica o duplo padrão de conduta quando se trata de ambição: é visto como algo positivo para os homens, enquanto que para as mulheres, negativo.  A campanha tem Gwyneth Paltrow, Julianne Moore, Kerry Washington, Chris Pine, Reese Witherspoon, Anna Wintour, Billie Jean King, Gabby Douglas, Laila Ali Sheryl Sandberg, Melinda Gates e outros.

O South by Southwest (SXSW) começou sua 30ª edição em Austin na sexta. As séries de TV que estão sendo promovidas lá são Better Call Saul do AMC (com um restaurante pop up Los Pollos Hermanos), Preacher, American Gods do Starz, Animals da HBO, Fargo do AMC, Prison Break da Fox (com uma instalção que permite o usuário escapar de uma cela), Game of Thrones e Veep da HBO, Dear White People da Netflix, The Son, Nobodies, que é de Melissa McCarthy, I’m Dying Up Here, de Jim Carrey para o Showtime, Twin Peaks do Showtime (com um diner pop up).

MGM está negociando a compra dos 81% que não são seus do Epix de seus parceiros Viacom e Lionsgate num negócio que pode valer até $2Bi.

A NBC Universal já começou sua campanha de Emmys  (6 meses antes) convidando os membros da Academia para almoço com criadores e talentos da casa , entre eles Jennifer Lopez (Shades of Blue), a turma do estourado This is Us, Ted Danson, America Ferrera, Aaron Paul e outros.  Foi esta semana em LA.

 

DESENVOLVIMENTO

HBO vai fazer um novo Game Change (o primeiro foi o filme com Julianne Moore no papel de Sarah Palin). Este novo será sobre a ascensão de Donald Trump, será dirigida por Jay Roach, produzida por Tom Hanks e escrita por Mark Halperin e John Heileman, dois jornalistas, comentaristas do MSNBC, que também cobriram a campanha eleitoral americana para o Showtime, The Circus, que continua (ou seja, a dupla vai estar no ar no Showtime e HBO…).

Jill Solloway, criadora de Transparent, vai fazer uma minissérie sobre um rodeio totalmente feminino (All Girl Rodeo)  numa pequena cidade do Texas durante a 2ª Guerra.

 

FOOD FOR THOUGHT

A “inovadora” internet repete comportamento das TVs pagas? O Variety analisa os bundles OTT: You Tube, Sling e Direct TV.

Por que não conseguimos desgrudar de nosso celular? É um vício, como diz o psicólogo Adam Alter, que está lançando um livro chamado “Irresistible: The Rise of Addictive Technology and the Business of Keeping Us Hooked” e que deu esta boa entrevista para o NYTimes.