semana 26 de março – Tonight Show Orlando, novelas Univision, marcas incrementam conteúdo

NA TV e EM OUTRAS PLATAFORMAS

Na segunda na PBS, um documentário chamou a atenção pelo título, Ovarian Psycos, sobre um grupo de ciclistas mulheres de Los Angeles (East LA), The Ovarian Psycos Cycle Brigade, que se formou para protestar contra violência contra a mulher e servir de comunidade de apoio (já que todas elas tem algum trauma). Aqui, um trecho.

Outro título que chamou a atenção foi Harlots,  um drama original do Hulu sobre três bordéis competidores na Londres de 1763 – um da mãe, outro da filha e outro mais refinado. Totalmente produzido e dirigido por mulheres, tem detalhamento histórico e bom drama.

Os resultados de audiência de fim do trimestre revelaram números recordes para os canais de notícia, um reflexo do país. A Fox News ficou na frente, crescendo 27% em relação a 2016 e média de 1.7MM, batendo ESPN. A CNN teve sua audiência mais alta em 14 anos. Na ficção, o destaque continua sendo This is Us, audiência mais alta para NBC em 13 anos e recorde no Live+7, subindo 5MM.

Na semana que vem, Jimmy Fallon faz o Tonight Show de Orlando, onde promove seu próprio passeio no Universal Studios, Race Through New York que abre para o público no dia 6. Race Through NY é uma jornada pelos bastidores, história e produção do Tonight Show. O promo da semana é divertido. E na lista de convidados da semana: Vin Diesel, Shaquille O’Neal, Pitbull, Blake Shelton, Dwayne Johnson, Nicole Richie,Jay Leno e Jason Derulo.

 

NOTICIAS, MARKETING, UPFRONTS

Shonda Rhimes é o primeiro grande nome contratado pela nova produtora da Dove, Real Beauty Productions, para contar histórias sobre beleza vindo das prórpias consumidoras. Tanto Dove quanto a própria Shonda começaram a solicitar as histórias esta semana via Twitter. A campanha Real Beauty da Dove já tem 13 anos, não usa modelos, não retoca as imagens e promete “retratar mulheres como elas são na vida real”.

Neste mesmo viés de marketing, Reese Witherspoon foi contratada pela Elizabeth Arden para ser sua “Storyteller-in-Chief“.  Reese, no ar em Big Little Lies, vai dar à marca, a narrativa de suas campanhas e promoções.

AMC vem promovendo a nova temporada de Better Call Saul com maratonas de Breaking Bad, aparições surpresas dos atores (Giancarlo Esposito distribuiu frangos para jornalistas do TCA, Bryan Cranston no set causou furor online) e pop ups do restaurante Los Pollos Hermanos, que depois de Austin, surge em NY (downtown) dias 8 e 9 de Abril. No cardápio, tacos, burritos, hamburgers e frango frito.

Um dos temas em discussão neste temporada de pilotos é o de direitos de exibição de todos os episódios ao mesmo tempo (stacking rights) em outras plataformas que não a TV linear quando a série é de estúdio diferente do canal (como é o caso de This is Us, produzido pela Fox, e Lethal Weapon, produzido pela Warner). Está provocando um aumento da “verticalização” de séries (estúdios estão priorizando a produção para seus próprios canais) e acordos estão sendo fechados ainda na fase de pilotos, com custo de 50 a 100 mil dólares por episódio. NBC, ABC e FOX também estão tentando assegurar direitos para sua JV de SVOD, Hulu, antes das séries estrearem e CBS, para seu serviço de streaming, CBS All Access. Este artigo da editora de TV do Deadline explica bem.

Fazendo seu upfront esta semana, o TLC, que em 2016 teve média de 1MM para cada um de seus 27 programas no ar,  anunciou a volta de uma de suas séries mais bem sucedidas até hoje, Trading Spaces, que é baseado no formato da BBC, Changing Rooms (dois vizinhos redecoram a casa do outro). Outras séries em desenvolvimento para 2017:  um spinoff da franquia 90 day Fiancé, acompanhando os casais da primeira temporada online (no TLCgo); Hair Goddess, sobre uma empresaria que faz extensões para o cabelo; The Healer, sobre um curandeiro australiano popular entre celebridades; Hear Me, Love Me, See Me, um formato de relacionamentos onde as candidatas não vem os candidatos; Meet the Putmans,  sobre uma família de 25 pessoas que vive sob o mesmo teto e Rattled, que é produzido por Drew Barrymore, sobre pais de primeira viagem.

Um dos maiores conglomerados de mídia do mundo, a Comcast está planejando um skinny bundle para este ano. Xfinity Instant TV deve custar $15/mês com todas as redes abertas, mais HBO, ou $40/mês, com os canais de esporte e em espanhol como Telemundo e Univision.

 

DESENVOLVIMENTO

 Em desenvolvimento ainda no TLC, 3 especiais-eventos: Diana: Tragedy or Treason, para celebrar os 20 anos de morte da princesa; The Fall, um documentário sobre as atletas Mary Decker e a sul africana Zola Budd (que nas Olimpíadas de 1984 corria descalça) e This is Life Live, quatro episódios retratando as trajetórias de 8 famílias que vão viver momentos cruciais ao vivo.

A ABC exibe um especial sobre a princesa Diana em maio, The Last 100 Days of Diana, e o que está produzindo com a People, em Agosto. A CBS exibe o seu, Princess Diana: Her Life — Her Death — The Truth, também em Maio (mês de sweeps).

Direct TV LatAm vai produzir uma série em parceria com a Mediapro espanhola com tema futebol. El Futbol no Es Asi está sendo co-escrito pelo presidente da Liga espanhola, Javier Tebas, e é um thriller sobre o assassinato do presidente de um clube de futebol.

Já a HBO fez uma parceria com a RAI e vai fazer um drama totalmente em italiano, My Brilliant Friend, baseado no livro de Elena Ferrante sobre duas amigas em Nápoles nos anos 50 e 60. (A Amiga Genial). Será exibido com legendas.

The Handmade Project é um reality de competição em desenvolvimento na NBC, com Amy Poehler e Nick Offerman no comando. Na competição, trabalhos manuais.

Hulu está desenvolvendo um talk show político com Sarah Silverman. Será semanal, a princípio com 10 eps e chamar-se I Love You, America.

 
FOOD FOR THOUGHT

Aqui vai o Top 10 anual de produtores de não ficção do Hollywood Reporter. Entre eles, Chip e Johanna Gaines, do HGTV, e Ellen

Também do Hollywood Reporter, uma boa entrevista com o CEO da Univision, Randy Falco. Ele fala das novelas da Univision (produzidas no Mexico pela Televisa) que estavam perdendo audiência até que mudaram o storyline (as narconovelas da Telemundo tem sido um sucesso entre hispânicos), da co-produção com Netflix e das empresas digitais (The Onion, Gawker) para enriquecer o conteúdo do Fusion.

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save