semana de 29 de maio – estratégia de 10 anos Facebook, Putin põe NBC vs Showtime, tendências da internet, fearless FX

NA TV e EM OUTRAS PLATAFORMAS

May Sweeps é o mês de medição oficial de audiência para o mercado publicitário (parte de um calendário que existe desde 1960 na TV americana) e o canal que fica em primeiro acaba aumentando o valor de seu espaço comercial. Este ano, graças a This is Us, com audiência consistente e crescente, a NBC ficou em primeiro no target do mercado publicitário (A18-49), seguido da Fox, CBS e ABC. CBS ganhou, como sempre, em número totais (9.6 milhões, 12% a menos que no ano passado).

Há anos não havia tanta novidade no jornalismo da TV paga, com a eterna líder Fox News ficando em terceiro lugar por duas semanas inteiras, perdendo seu May Sweeps durante a semana para MSNBC, que ficou em primeiro pela primeira vez em 17 anos. Rachel Maddow é a grande estrela do jornalismo da TV paga (MSNBC) e Megyn Kelly, destaque da Fox News até a eleição, estreia seu novo programa na NBC domingo à noite, entrevistando Vladimir Putin.  Ela anunciou a entrevista com Putin quinta de manhã no Today, despertando a ira do Showtime, que uma hora depois passou a promover suas 4 horas com Oliver Stone.

No jornalismo da TV aberta, Lester Holt e NBC ganharam no target dos anunciantes (A25-54) e David Muir e ABC ganharam em números totais, já o âncora da CBS, Scott Pelley, perdeu o posto teoricamente por falta de audiência.  O Today (NBC) ganhou do GMA (ABC) nas manhãs, e, no late night como já se sabe, Colbert (CBS) ganhou seu primeiro May Sweeps , estando à frente de Fallon há 4 meses consecutivos.

Das duas estréias importantes da semana, só uma funcionou, a competição de dança de J-Lo na NBCWorld of Dance, que teve  mais de 12 milhões de espectadores. Na ABC, o shakespeare de Shonda Rhimes (Still Star Crossed, história que começa depois que Romeu e Julieta morrem) flopou com só 2.5MM.

Alguns comerciais digno de nota porque são divertidos e memoráveis. Primeiro este de detetizador canadense conseguiu ser interativo: programado em diversos canais ao mesmo tempo, convidava o espectador a trocar de canal para provar que estva no canal seguinte (porque “se espalhando feito praga”). E lá estava, no History, Food Network, CNN, etc. Aqui a compilação do que apareceu em cada canal. O segundo foi criado pela Ogilvy e lista um rinoceronte no Tinder, o último Northern White existente, ou como diz o comercial, “o solteiro mais cobiçado do planeta”. Também usando uma rede social, a Suécia listou o país inteiro no AirBnb.

 

NOTICIAS

Esta semana aconteceu o encontro anual da Recode #Codecon, onde a pesquisadora Mary Meeker divulgou sua lista anual de tendências da Internet, como a diminuição do crescimento de smartphones, o crescimento do uso de mídia digital bem como publicidade móvel, o gasto de publicidade na internet se iguala ao da TV e outras. Na mesma conferência, o CEO da Netflix, Reed Hastings falou sobre o pioneirismo em binge viewing de suas séries e como estão sofrendo com filmes.

Reed Hastings também falou sobre a produção original no Facebook, que pode se tornar um conflito de interesses para Netflix, já que ele está no Board deles. Por enquanto não, disse, já que não querem fazer House of Cards. Facebook está adquirindo conteúdo para ser exibido este verão em dois tiers: programas de meia hora e de 5-10 minutos. Segundo a Reuters, os programas de meia hora tem budget de  $250 mil por episódio e $10 a $35 mil por episódio para os curtos – House of Cards custa $4.5 milhões por episodio e o orçamento da Netflix de produção original este ano é de $6Bi. Facebook tem Vox, BuzzFeed, ATTN e Group Nine como fornecedores.

Segundo Nielsen, 82% dos adultos ainda vê conteúdo na TV tradicional, 10% em aparelhos ligados à TV tradicional e 7% em aparelhos móveis (share, dados do último trimestre de 2016).

DESENVOLVIMENTO

History está desenvolvendo uma docusérie sobre Watergate, enquanto a TNT está desenvolvendo uma com Michael Moore sobre a situação política e econômica do país e outra com Sarah Jessica Parker e Morgan Spurlock (Super Size Me) chamada Who Run The World? sobre questões de desigualdade que a mulher sofre atualmente, como a ditadura do corpo .

Bravo está desenvolvendo uma missérie (ficção) baseada na amizade e rivalidade de duas famosas editoras, Anna Wintour e Tina Brown. Vai se chamar All That Glitters, será baseada  no livro de Thomas Maier e produzida por Gale Anne Hurd (de The Walking Dead).  As duas mulheres são muito parecidas: ousadas, corajosas e conseguiram criar suas trajetórias num ambiente hostil e masculino.

BBC está desenvolvendo Diana and I, sobre o impacto que a morte da Princesa Diana teve na vida de muita gente, contando a história do ponto de vista de quatro pessoas normais ficcionais (uma mãe, um filho, uma mulher e um namorado) na semana seguinte ao acidente.

Lifetime vai produzir um telefilme sobre uma traficante colombiana que criou um império nos EUA, Griselda Blanco, conhecida como a Viúva Negra. Presa por 10 anos em 85, continuou traficando, foi deportada para Colombia e assassinada em 2012. O telefilme será com Catherine Zeta Jones e vai se chamar Cocaine Godmother.

 

FOOD FOR THOUGHT

John Ladgraf (FX) é o executivo mais interessante de TV e informalmente já ganhou apelido de “Prefeito da TV”. Ele faz as melhores séries da TV, cunhou o termo Peak TV, prestamos atenção em tudo que diz e agora fala como Netflix está despejando dinheiro a rodo em todas as áreas que podem ganhar um Emmy (FX tem seu orçamento de produção original $1Bi). Na Fast Company, eles já falam de “world domination” do FX.

Este gráfico mostra o plano estratégico de 10 anos do Facebook.

Save

Save

Save

Save