semana de 12 de junho – marketing para o emmy, sexo pára reality, rachel maddow brilha

NOTICIAS

Dois participantes do reality Bachelor in Paradise, em produção no Mexico, beberam demais no fim de semana e se excederam (num “comportamento sexual não apropriado”). A produção foi interrompida, lançou-se uma investigação legal na Warner e ABC e se iniciou o debate “por que somos fascinados por este tipo de voyeurismo”. Tanto no  Vulture quanto no Variety, produtores de reality contam como o sexo é orquestrado para acontecer neste tipo de programa.

Em Los Angeles, uma bela homenagem ao primeiro Batman, Adam West,
que morreu na passada. A torre da prefeitura foi iluminada com o logo na quinta à noite, como mostra a foto aí do lado.

Em meio aos escândalos de abuso sexual e racismo na Fox News, a 21st Century Fox, que controla a Fox News,   lançou uma iniciativa de capacitação e treinamento para as mulheres da empresa. No fim de maio, as CEOs da Fox Film e Fox Television, Stacey Snider e Dana Walden, lançaram Women@Fox reunindo funcionários no lot em Los Angeles para divulgar a iniciativa.

Se o clima político atual favoreceu a todos os canais de notícia, a estrela maior é Rachel Maddow, que conseguiu dois fatos inéditos: bater a Fox News às 9 da noite e se tornar o nome mais confiável do jornalismo. Ela fala a verdade e seu estilo de comunicar é impecável. E ela é a entrevista de capa da Rolling Stone.

 NBC News está lançando uma unidade digital para produção de mini docs e matérias curtas destinadas exclusivamente às redes sociais. Chama-se Left Field,  tem 12 pessoas e nem opera em 30 Rock (onde fica a NBC), mas num espaço de coworking em Union Square em NY.

E pela primeira vez em muito tempo a notícia de um lançamento de canal. em 15 de Julho, NBC Universal lança o canal em parceria com o comitê Olímpico amerciano, The Olympic Channel: Home of Team USA. Estreia com 35MM de assinantes na TV linear e streaming na DirecTV Now, Fubo, Hulu, Sony PlayStation Vue and YouTube TV.

Wall Street reagiu bem ao cancelamento de algumas séries da Netflix subindo o valor de suas ações sem 2%. Alguns analistas prevem que os gastos desenfreados da empresa, a curto prazo, devem terminar. O CEO Reed Hastings anunciou que iria gastar 6Bi em conteúdo este ano, ignorando seu déficit de $3.4Bi em conteúdo, mas também já dá indícios de uma nova estratégia, indicando que podem haver novos cancelamentos, porque quer ser mais ousado.

 

MARKETING

A votação do Emmy começou na segunda e com ela, o marketing mais agressivo de alguns estúdios em suas campanhas de For Your Consideration. Aqui, apenas os mais inspirados, como do Hulu, quando seis grupos de mulheres vestidas como as servas de A Handmaid’s Tale saiu pelas ruas de Los Angeles no último fim de semana, exatamento como fazem na série (nas fotos aí em baixo, Runyon Canyon, na rua em West Hollywood e na frente da Fox).

Na campanha do FX para The Americans,  a segunda amanheceu com outdoors e anúncios de página inteira nos jornais de NY, Los Angeles e Washington com a frase “The Russians Are Here“.  Netflix alugou um espaço de quase 3000 metros quadrados em Beverly Hills, deu o nome de FYSEE e em tem feito eventos diários com criadores e elenco de suas séries.
Em NY, o Daily Show com Trevor Noah anunciou a biblioteca pop up do presidente, The Donald J. Trump Presidential Twitter Library, com todos os tweets do presidente (na rua 57, 3 West 57th St.) este fim de semana até domingo dia 18. A CBS doou os $250 mil que ia gastar no marketing de Mom para a organização não governamental Planned Parenthood e distribuiu sacolas de lona reutilizáveis nas feiras de Los Angeles.

Uma coisa é certa e pode-se esperar das indicações: acabou a era do anti herói americano como Walter White, Don Draper e Tony Soprano, como diz o colunista do Hollywood Reporter.. Chegou a vez de heróis familiares (como This is Us ou The Crown) e distopias.

No Ad Week, uma compilação de 13 estatísticas de marketing e mídia digital dignas de nota esta semana,  como os gastos do Facebook,  rede social que mais gasta em marketing nos EUA ($80 milhões em 2016). Outro dado: Apple Music tem hoje 27 milhões de assinantes (7MM a mais que em Dezembro), Amazon é a empresa de tecnologia que mais cresce, segundo as tendências da internet de Millward Brown (Kantar). E o número de assinantes da Netflix já ultrapassou os de TV paga nos EUA.

Há uma pequena apologia a publicitários brasileiros no Ad Age desta semana, que os chama de “os novos suecos”.

DESENVOLVIMENTO

Facebook vai fazer um reality de competição entre estados com os mesmos produtores de American Ninja Warriors, Last State Standing. Serão 50 competidores, um de cada estado americano, tentando vencer brincadeiras e desafios.  Já uma de suas primeiras séries de fição será a segunda temporada de uma comédia cancelada pela MTV em Outubro do ano passado, Loosely Exactly Nicole, sobre a vida da comediante Nicole Byer.

MTV, Seventeen e o E! planejam produzir conteúdo para o superpopular aplicativo Musical.ly,  que é dos mais populares entre adolescentes. Da revista Seventeen (que pertence a Hearst), vem Fashion to DIY, com dicas para fazer em casa looks dos últimos desfiles, Seventeen and the City,  com sugestões de lugares da moda em NY, e mais um com dicas de maquiagem. Do E!, com produção da Universal, vem um programte chamado Crush, sobre os celebrity crushes das estrelas de redes sociais. Da MTV, vem uma série que é parte animação,  Greatest Story Ever.